Busca avançada
Ano de início
Entree

Incidência de microdeleções do cromossomo Y em filhos de país submetidos à reversão de vasectomia ou fertilização in vitro com punção aspirativa de epidídimo

Processo: 11/17623-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2012 - 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:Sidney Glina
Beneficiário:Sidney Glina
Instituição-sede: Faculdade de Medicina do ABC (FMABC). Organização Social de Saúde. Fundação do ABC. Santo André , SP, Brasil
Pesq. associados:Bianca Alves Vieira Bianco ; Caio Parente Barbosa ; Milton Ghirelli Filho
Assunto(s):Procedimentos cirúrgicos urológicos  Vasectomia  Vasovasostomia  Fertilização in vitro  Cromossomo Y  Deleção cromossômica 

Resumo

Dados da literatura de revisão sistemática demonstraram que crianças geradas a partir de FIV têm maior risco de apresentar malformações congênitas quando comparadas às geradas por concepção natural. O aumento das malformações congênitas após o emprego da FIV pode estar relacionado com o tratamento hormonal usado para estimulação ovariana para realização de FIV ou com o procedimento em si, mas o fator de infertilidade e seus determinantes também podem ter influência. Dentre os fatores masculinos de infertilidade que levam a indicação da realização de FIV, a azoospermia obstrutiva gerada pela realização de vasectomia apresenta questão de especial preocupação sobre possíveis malformações associadas à realização de FIV. A vasectomia é a causa mais comum de azoospermia obstrutiva. A recuperação de fertilidade após vasectomia é obtida por dois métodos: a reversão de vasectomia ou a FIV com recuperação de espermatozóides através da punção aspirativa do epidídimo (PESA). Todavia, a presença de maior número de malformações na prole de pacientes submetidos à FIV é um alerta que deve ser feito aos casais no momento da decisão sobre o método de recuperação de fertilidade após vasectomia. Dentre as alterações genéticas identificáveis, a microdeleção do cromossomo Y está entre as mais estudadas. A identificação da região do fator de azoospermia (AZF) no braço longo do cromossomo Y (Yq) levou ao desenvolvimento de um exame chave para a avaliação das falhas graves de espermatogênese. As microdeleções do cromossomo Y são a causa genética identificável mais comum de falha de espermatogênese. A grande maioria destas microdeleções aparece de novo, indicando que esta região é particularmente instável, e leva à hipótese deste estudo de que talvez os genes da região AZF possam apresentar alterações nos procedimentos de FIV, tal qual demonstrado para outros cromossomos.A incidência de microdeleções de cromossomo Y na população fértil é assunto de discussão, já que a própria classificação do paciente como fértil não implica em normospermia, o que por si só pode causar viés. Ao passo que na grande maioria dos estudos a incidência de microdeleções na população normal varia de 0%a 0,87% dos casos. Já a incidência de microdeleções do cromossomo Y na população infértil é bastante variável nos estudos, mas é constante na literatura o aumento significativo da incidência destas deleções na população com azoospermia não-obstrutiva e nos portadores de oligozoospermia grave. Em estudo de Chung Feng e cols. (2008) foram observadas microdeleções do cromossomo Y em 10,8% das crianças nascidas a partir de FIV e em nenhuma criança nascida através de concepção natural, sendo a diferença estatisticamente significante. No entanto a casuística do estudo foi pequena, com 37 casos no grupo nascido a partir de FIV e 60 casos no grupo controle nascido por concepção natural, limitando suas conclusões.Tendo em vista o apresentado, a presença de maior número de microdeleções de cromossomo Y na prole dos vasectomizados submetidos à FIV com recuperação de espermatozóides por PESA traria maior incidência de infertilidade nesta população. Dessa forma, os objetivos do estudo são comparar a incidência de microdeleções no cromossomo Y de indivíduos nascidos a partir de pais previamente vasectomizados submetidos á reversão de vasectomia á fertilização in vitro com espermatozoides recuperados por punção epididimária e avaliar a incidência de microdeleções de cromossomo Y na população fértil com espermograma normal. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MILTON GHIRELLI-FILHO; PATRICIA LEME DE MARCHI; FERNANDA ABANI MAFRA; VIVIANE CAVALCANTI; DENISE MARIA CHRISTOFOLINI; CAIO PARENTE BARBOSA; BIANCA BIANCO; SIDNEY GLINA. Incidence of Y-chromosome microdeletions in children whose fathers underwent vasectomy reversal or in vitro fertilization with epididymal sperm aspiration: a case-control study. Einstein (São Paulo), v. 14, n. 4, p. -, Dez. 2016.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.