Busca avançada
Ano de início
Entree

Sistemática de pequenos mamíferos das formações abertas da América do Sul: o caso do gênero Cryptonanus (Didelphimorphia: Didelphidae)

Processo: 11/20022-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2012 - 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Ana Paula Carmignotto
Beneficiário:Ana Paula Carmignotto
Instituição-sede: Centro de Ciências Humanas e Biológicas (CCHB). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). Sorocaba , SP, Brasil
Pesq. associados: Ana Cláudia Lessinger ; Roberta Paresque
Bolsa(s) vinculada(s):13/16648-0 - Padronização dos protocolos de extração, quantificação e diluição de DNA de amostras de tecido de diferentes espécies de marsupiais, BP.TT
12/16748-1 - Padronização dos protocolos de extração, quantificação e diluição de DNA de amostras de tecido de diferentes espécies de marsupiais, BP.TT
Assunto(s):Mamíferos terrestres  Filogenia 

Resumo

Este projeto faz parte de minha linha de pesquisa, que tem como objetivos solucionar problemas taxonômicos, propor hipóteses filogenéticas, e levantar padrões biogeográficos e filogeográficos relacionados a espécies e populações de pequenos mamíferos terrestres (marsupiais e roedores) que habitam as formações abertas neotropicais. Através da definição do status taxonômico, do conhecimento dos limites de distribuição geográfica, da relação de parentesco e da variação genética existente entre os taxa estudados e suas populações, será possível levantar hipóteses biogeográficas consistentes para os biomas Cerrado e Caatinga, muito pouco exploradas atualmente. Como a maioria destes táxons também se distribui em regiões de Chaco e zonas temperadas ao sul, o estudo destas espécies permitirá compreender uma parte importante da história evolutiva da América do Sul: a evolução das formações abertas e sua fauna associada. Neste projeto, o gênero de marsupial Cryptonanus foi escolhido como táxon alvo para abordar estas questões dado que foi descrito recentemente e pouco se sabe a respeito de sua taxonomia, sistemática e filogeografia, especialmente no que diz respeito aos táxons que ocorrem no Brasil. Abrange cinco espécies distribuídas nas áreas abertas da Bolívia, Paraguai, Uruguai, Argentina e Brasil. Baseado no material examinado durante o meu doutoramento, registrei a presença de pelo menos três taxa pertencentes ao gênero Cryptonanus, incluindo espécimes provenientes do Estado de São Paulo, que não se encaixam na diagnose das espécies válidas atualmente. O inventário de novas áreas no Cerrado e na Caatinga, bem como o exame de um maior número de exemplares depositados em coleções científicas, incluindo análises morfológicas e moleculares, provavelmente modificará a diagnose e o presente arranjo taxonômico do gênero, além de fornecer informações essenciais a respeito da história natural, filogenia e biogeografia do mesmo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SUAREZ-VILLOTA, ELKIN Y.; CARMIGNOTTO, ANA PAULA; BRANDAO, MARCUS VINICIUS; PERCEQUILLO, ALEXANDRE REIS; SILVA, MARIA JOSE DE J. Systematics of the genus Oecomys (Sigmodontinae: Oryzomyini): molecular phylogenetic, cytogenetic and morphological approaches reveal cryptic species. ZOOLOGICAL JOURNAL OF THE LINNEAN SOCIETY, v. 184, n. 1, p. 182-210, SEP 2018. Citações Web of Science: 2.
FERNANDES SEMEDO, THIAGO BORGES; BRANDAO, MARCUS VINICIUS; CARMIGNOTTO, ANA PAULA; NUNES, MARIO DA SILVA; FARIAS, IZENI PIRES; FERREIRA DA SILVA, MARIA NAZARETH; ROSSI, ROGERIO VIEIRA. Taxonomic status and phylogenetic relationships of Marmosa agilis peruana Tate, 1931 (Didelphimorphia: Didelphidae), with comments on the morphological variation of Gracilinanus from central-western Brazil. Zoological Journal of the Linnean Society, v. 173, n. 1, p. 190-216, JAN 2015. Citações Web of Science: 3.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.