Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise espaço-temporal dos impactos da substituição da vegetação natural por agricultura epecuária nos cerrados do Mato Grosso

Processo: 11/22027-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2012 - 30 de abril de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Recursos Florestais e Engenharia Florestal - Conservação da Natureza
Pesquisador responsável:Antonio Roberto Formaggio
Beneficiário:Antonio Roberto Formaggio
Instituição-sede: Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE). Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (Brasil). São José dos Campos , SP, Brasil
Pesq. associados:Ailton Luchiari ; Alfredo José Barreto Luiz ; Kleber Trabaquini ; Yosio Edemir Shimabukuro
Assunto(s):Sensoriamento remoto  Degradação ambiental  Indicadores ambientais 

Resumo

O presente projeto insere-se no contexto de transformações sem precedentes no uso e cobertura das terras, que vêm ocorrendo aceleradamente no Bioma Cerrado do Brasil Central, bioma este que tem papel de destaque como uma das regiões de maior expansão agropecuária no mundo, conjuntamente a uma destacada relevância ecológica, uma vez que a região foi incluída como um dos hotspots de biodiversidade do Planeta. Os impactos ambientais causados pela expansão acelerada da agropecuária, conforme verificada nas últimas décadas, embora significativos, são ainda pouco estudados neste importante bioma, sendo necessárias ferramentas capazes de cartografar, monitorar e sintetizar aspectos chaves das mudanças ambientais, visando entender os processos e impactos, na direção de buscar soluções que possam servir de base para tomadas de decisões. Utilizando uma abordagem multidisciplinar, baseada no uso de sensoriamento remoto, geotecnologias e modelagem ambiental, a presente pesquisa buscará compreender e quantificar as transformações históricas nos usos e coberturas dos solos, bem como suas influências na perda da qualidade ambiental, tomando como área de estudos uma bacia hidrográfica situada a oeste do estado do Mato Grosso, na Chapada dos Parecis, que tem sofrido intensa pressão antrópica pela expansão da agropecuária nas últimas décadas. A metodologia consistirá de três partes principais: (1) estudo das mudanças históricas dos usos e coberturas das terras, a partir de dados de sensoriamento remoto, (2) emprego de modelos ambientais para quantificação dos impactos (SWAT, para avaliar as mudanças de escoamento superficial e USLE, para estimativas de tendências de perdas de solos por erosão hídrica), e (3) sintetização das informações via indicadores ambientais chaves a serem analisados a partir do modelo Pressão-Estado-Resposta da OECD (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico). Desta maneira, pretende-se fornecer estimativas espacializadas de degradação ambiental bem como recomendações e cenários da sustentabilidade do modelo de exploração agropecuária implantado e vigente na região. (AU)