Busca avançada
Ano de início
Entree

Liberação controlada da oxitetraciclina aprisionada em matriz de alginato / quitosana recoberta com Eudragit® em leito fluidizado

Processo: 11/22175-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2012 - 31 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Lucia Helena Innocentini Mei
Beneficiário:Lucia Helena Innocentini Mei
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia Química (FEQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Biopolímeros  Mucosa gástrica  Biomateriais  Oxitetraciclina 

Resumo

O presente trabalho fundamenta-se no desenvolvimento de um sistema de liberação gastrorresistente, onde o fármaco atravessa o meio gástrico intacto e seja liberado de maneira controlada no meio entérico. O fármaco selecionado será a Oxitetraciclina, uma vez que ao ser ingerida causa irritação na mucosa gástrica. A oxitetraciclina é um antibiótico da família das tetraciclinas com ação bacteriostática de amplo espectro. O método escolhido para preparação das micropartículas será por coacervação complexa em um único estágio. Os polímeros naturais utilizados serão o alginato de natureza aniônica e a quitosana de natureza catiônica, por serem biocompatíveis, não tóxicos e de fácil degradação. Em continuação ao trabalho de Cruz (2004) e financiado pela FAPESP, será realizado revestimento do sistema em Leito fluidizado, utilizando uma dispersão polimérica à base de Eudragit® que é um polímero sintético gastrorresistente de natureza aniônica. Com o intuito de evitar o efeito burst observado por Cruz (2004), será realizada a otimização da formulação polimérica e do processo de revestimento. A cinética de liberação in vitro do fármaco será realizada por método espectrofotométrico, em meio de dissolução ácido e básico, visando obter o perfil de dissolução nos fluidos gástrico e intestinal. (AU)