Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização molecular das interações entre o carrapato-vetor e o agente etiológico da febre maculosa, Rickettsia rickettsii

Resumo

A febre maculosa (spotted fever) é uma doença severa ocasionada pela bactéria Rickettsia rickettsii. Diversos casos da doença são relatados anualmente em vários países do continente Americano, incluindo o Brasil, onde as taxas de letalidade chegam a 40%. R. rickettsii é transmitida por espécies de carrapatos dos gêneros Dermacentor, Rhipicephalus e Amblyomma, sendo que no Brasil, a transmissão é dada usualmente por A. cajennense e A. aureolatum. Embora R. rickettsii possa permanecer por várias gerações do vetor através de transmissões transestadial e transovariana, diversos estudos têm demonstrado que apenas uma pequena parcela (inferior a 1,5%) de carrapatos de áreas endêmicas encontra-se infectada por R. rickettsii. É possível que a baixa prevalência da bactéria nas populações de carrapatos seja decorrente de sua patogenicidade para o veto r, uma vez que carrapatos infectados apresentam menores taxas de sobrevivência e de reprodução. Interessantemente, colônias de A. aureolatum e de A. cajennense mantidas em laboratório apresentam diferentes taxas de prevalência (100% e 10-20%, respectivamente) de R. rickettsii. Dessa maneira, a caracterização molecular das interações entre os carrapatos A. aureolatum e A. cajennense e a bactéria R. rickettsii toma-se fundamental, podendo gerar informações tanto para o esclarecimento dos mecanismos de virulência de R. rickettsii para carrapatos, quanto para o entendimento dos mecanismos responsáveis pela aparente restringência de A. cajennense à infecção. Alguns dados disponíveis na literatura sugerem que a alimentação sanguínea bem como a manutenção de carrapatos em temperaturas próximas à temperatura do hospedeiro são fatores importantes para a reativação da virulência de R. rickettsii em carrapatos. No entanto, os mecanismos moleculares responsáveis por esta reativação permanecem desconhecidos. Assim, estudos sobre a expressão de genes de Rickettsia durante a infecção do carrapato-vetor podem fornecer informações importantes para a elucidação dos mecanismos de virulência de R. rickettsii para seus vetores. Com base nos dados acima mencionados, o presente projeto tem como objetivos avaliar, pela primeira vez, os efeitos da infecção por R. rickettsii sobre o perfil de expressão gênica de carrapatos, bem como determinar os efeitos da temperatura e da alimentação sanguínea sobre o perfil de expressão gênica desta bactéria durante a infecção do carrapato-vetor. Este estudo pretende gerar subsídios para uma melhor compreensão das interações entre o vetor e o agente etiológico da febre maculosa no Brasil, podendo ainda levar à identificação de potenciais alvos para o desenvolvimento de vacinas para o controle desta doença. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GALLETTI, MARIA FERNANDA B. M.; FUJITA, ANDRE; ROSA, RAFAEL D.; MARTINS, LARISSA A.; SOARES, HERBERT S.; LABRUNA, MARCELO B.; DAFFRE, SIRLEI; FOGACA, ANDREA C. Virulence genes of Rickettsia rickettsii are differentially modulated by either temperature upshift or blood-feeding in tick midgut and salivary glands. PARASITES & VECTORS, v. 9, JUN 10 2016. Citações Web of Science: 7.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.