Busca avançada
Ano de início
Entree

Remediação de solos e águas subterrâneas contaminadas por NAPLs utilizando oxidação química

Processo: 11/12158-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de março de 2012 - 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química
Pesquisador responsável:Juliana Gardenalli de Freitas
Beneficiário:Juliana Gardenalli de Freitas
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Pesq. associados:Jose Ermirio Ferreira de Moraes ; Sheila Aparecida Correia Furquim
Bolsa(s) vinculada(s):15/11199-8 - Impacto da oxidação química por persulfato em solo tropical: avaliação em sistemas de transporte 1-D, BP.MS
15/09980-3 - Oxidação química in-situ para a remediação de solos tropicais contaminados por DNAPLs, BP.IC
13/16790-0 - Avaliação do comportamento de soluções oxidantes visando a remediação de solos contaminados por combustíveis líquidos, BP.IC
12/06992-2 - Reação de oxidantes com solos tropicais, BP.IC
Assunto(s):Oxidação química  Remediação  Compostos orgânicos  Solos  Águas subterrâneas 

Resumo

Derramamentos acidentais em indústrias e postos de abastecimento são uma ameaça para a qualidade da água subterrânea, sendo compostos orgânicos como solventes aromáticos e halogenados alguns dos principais contaminantes. Devido à sua baixa solubilidade, esses compostos podem formar uma fase oleosa em subsuperfície, chamada de NAPL (non-aqueous phase liquid). NAPLs constituem uma fonte de difícil remediação e longa duração. Uma opção para a remediação é a oxidação química in-situ, usando diferentes oxidantes como permanganato e persulfato. Uma das maiores dificuldades da oxidação química in-situ é promover o contato do oxidante com o contaminante. Além disso, a interação dos oxidantes com solos tropicais brasileiros ainda não foi avaliada. Assim, essa pesquisa busca estudar o comportamento de soluções oxidantes em meios porosos, principalmente solos tropicais típicos brasileiros, visando melhorar a eficácia da remediação por oxidação química. As reações dos oxidantes com solos tropicais serão estudadas inicialmente em ensaios em batelada, que servirão de base para o dimensionamento e realização de testes em coluna. Posteriormente, serão realizados testes em 2-dimensões, que permitem visualizar o transporte e comportamento dos oxidantes e contaminantes. Nesses testes, será avaliado o efeito da concentração da solução oxidante no seu transporte e no contato com NAPLs. Serão avaliados diferentes tipos de solos e o efeito de heterogeneidades. No final dessa pesquisa, se terá um maior entendimento do transporte e das reações dos oxidantes com o solo, o que permitirá o aperfeiçoamento de técnicas para a remediação in-situ por oxidação química. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FERREIRA, IEDA D.; PRIETO, TATIANA; FREITAS, JULIANA G.; THOMSON, NEIL R.; NANTES, ISELI L.; BECHARA, ETELVINO J. H. Natural Persulfate Activation for Anthracene Remediation in Tropical Environments. WATER AIR AND SOIL POLLUTION, v. 228, n. 4 APR 2017. Citações Web of Science: 8.
OLIVEIRA, FERNANDA C.; FREITAS, JULIANA G.; FURQUIM, SHEILA A. C.; ROLLO, RENATA M.; THOMSON, NEIL R.; ALLEONI, LUIS R. F.; NASCIMENTO, CLAUDIO A. O. Persulfate Interaction with Tropical Soils. WATER AIR AND SOIL POLLUTION, v. 227, n. 9 SEP 2016. Citações Web of Science: 5.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.