Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da inervação NANC e do relaxamento induzido pelo fluxo na artéria interna do pudendo

Processo: 11/23060-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2012 - 31 de março de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Rita de Cassia Aleixo Tostes Passaglia
Beneficiário:Rita de Cassia Aleixo Tostes Passaglia
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Pesq. associados:Fernando Silva Carneiro
Assunto(s):Ereção peniana  Vasodilatação  Disfunção erétil  Transmissão sináptica 

Resumo

Em indivíduos saudáveis, a ereção peniana é um fenômeno neurovascular complexo que depende de respostas altamente coordenadas e praticamente simultâneas de relaxamento da vasculatura pré-peniana assim como dos vasos e do músculo liso intra-penianos. Isso desencadeia aumento do fluxo sanguíneo peniano, aumento da pressão intracavernosa e a consequente tumescência. Embora o papel da inervação não-adrenérgica não-colinérgica (NANC) para o relaxamento do tecido cavernoso na ereção seja conhecido há algum tempo, ainda não se sabe como é exercido o controle do tônus da vasculatura pré-peniana. Em especial, é desconhecido se a inervação NANC também contribui para o relaxamento da artéria pudendal interna (IPA), a qual irriga os corpos cavernosos durante a ereção peniana. As IPAs são responsáveis por cerca de 70% da resistência ao fluxo sanguíneo que vai para os corpos cavernoso. E dessa forma, diversas patologias que levam ao aumento da resistência das IPAs como oclusão, estenose e processo aterosclerótico estão associadas com o aparecimento de disfunção erétil (DE). Por outro lado, condições associadas a diminuição da resistência das IPAs, como fístulas artério-venosas podem levar ao quadro de priapismo. Portanto, as evidências atualmente disponíveis demonstram que as IPAs são essenciais para o controle do influxo sanguíneo peniano necessário para o processo erétil, embora não sejam conhecidos os mecanismos fisiológicos que controlam o tônus e/ou atividade desses vasos. Nesse sentido, o presente estudo testará as seguintes hipóteses: 1) as IPAs possuem abundante inervação NANC; 2) a inervação NANC induz dilatação das IPAs; 3) o óxido nítrico (NO) é o principal mediador NANC nas IPAs; 4) o aumento do fluxo nas IPAs induz relaxamento adicional desses vasos, o que contribui para o processo erétil. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.