Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência da etapa de granulação da massa para a viabilização da fabricação de porcelanatos pelo processo via seca

Processo: 11/23216-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2012 - 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Anselmo Ortega Boschi
Beneficiário:Anselmo Ortega Boschi
Instituição-sede: Centro de Ciências Exatas e de Tecnologia (CCET). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Pesq. associados:Fábio Gomes Melchiades
Assunto(s):Materiais cerâmicos  Porcelanato 

Resumo

O processo via seca, utilizado atualmente por 70% das empresas que fabricam revestimentos cerâmicos no Brasil, apresenta inúmeras vantagens ao meio ambiente em relação à tradicional rota de fabricação por via úmida, tais como menores emissões de CO2, consumos de água e de energia térmica inferiores, etc. Em função de suas peculiaridades, o processo via seca pode ser considerado como a maior inovação tecnológica ocorrida no setor brasileiro de revestimentos cerâmicos. Entretanto, esta rota de processamento atualmente não está sendo destinada para a fabricação de porcelanatos no Brasil, que é a tipologia de produtos cerâmicos que apresentou a maior taxa de crescimento de produção no país na última década. Estudos anteriores indicam que um dos principais entraves para viabilizar a fabricação de porcelanatos de grandes formatos através da rota via seca está nas características dos aglomerados preparados na etapa de granulação da massa. Sendo assim, o projeto apresenta como objetivo a avaliação dos efeitos das características dos grânulos preparados através de processos via seca sobre as propriedades de porcelanatos de cor de queima clara. Para a realização do projeto, o desempenho de grânulos preparados por microgranulação a seco (via seca) será avaliado comparativamente em relação ao de grânulos atomizados (via úmida). Pretende-se determinar os efeitos isolados dos tamanhos dos grânulos, dos conteúdos de umidade dos mesmos, da composição da massa e da presença de aditivos sobre o comportamento (durante o processamento e sobre as propriedades dos porcelanatos obtidos) de grânulos preparados por microgranulação a seco. Ao final do projeto, espera-se através dos resultados produzidos, identificar as características ideais dos grânulos e as condições mais efetivas de granulação para contribuir para a viabilização da fabricação de porcelanatos por via seca. (AU)