Busca avançada
Ano de início
Entree

Evolução da paisagem e geocronologia do relevo no planalto ocidental e na depressão periférica Paulista/SP

Processo: 12/00145-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2012 - 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Geografia Física
Pesquisador responsável:Archimedes Perez Filho
Beneficiário:Archimedes Perez Filho
Instituição-sede: Instituto de Geociências (IG). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados: Salvador Carpi Junior
Bolsa(s) vinculada(s):12/07888-4 - Evolução da paisagem e geocronologia do relevo no Planalto Ocidental e na Depressão Periférica Paulista/SP, BP.TT
Assunto(s):Relevo  Erosão fluvial 

Resumo

O relevo do Estado de São Paulo é dividido em províncias geomorfológicas analisadas a partir de sua estrutura, formação e base litológica. A Depressão Periférica e o Planalto Ocidental Paulista correspondem a duas dessas províncias, sendo a maior porcentagem de área do estado. O estudo proposto pretende identificar e interpretar superfícies de aplainamento definidas por Penteado (1968) através da datação e correlação das superfícies Neogênica I, Neogênica II, dos altos e dos baixos terraços fluviais quaternários, utilizando a técnica Luminescência Opticamente Estimulada (LOE) em diferentes materiais de formação de solos localizados nas respectivas superfícies. Os resultados obtidos permitirão traçar relações entre a gênese de tais formas, e possíveis condições ambientais pretéritas, provavelmente em períodos de semi-aridez e o posterior entalhamento do canal fluvial em condições quentes e úmidas.Os resultados obtidos por meio das datações permitirão construir um cenário regionalizado de oscilações climáticas, fundamentalmente do final do Terciário e do Quaternário (Pleistoceno e Holoceno). Também será levada em consideração a influência de atividades neotectônicas na elaboração de tais formas de relevo, possibilitando analisar correspondências regionais entre as idades e os níveis de terraços fluviais de uma mesma província geomorfológica.Assim tal estudo propõe retomar discussões que se tornaram pouco difundidas atualmente e que, por meio da utilização de avançadas técnicas de análise e datação absoluta do material superficial (80/100 cm de profundidade) disponíveis, podem contribuir para com as discussões sobre a gênese de formas de relevo, de solos e sua correspondência com oscilações climáticas ocorridas em período recente da escala de tempo da natureza. Propõe-se também a análise das dinâmicas das organizações espaciais e as mudanças nelas causadas por alterações no uso das terras, buscando compreender as complexas relações entre sociedade e natureza. O presente projeto também se propõe a avançar no entendimento destas relações, tendo a abordagem sistêmica como fundamentação teórica e como unidade de análise a bacia hidrográfica. Entende-se que o crescimento acelerado de incisões erosivas nas cabeceiras de drenagem está associado às mudanças hidrológicas nas formações superficiais determinadas pela construção de barragens ao longo dos rios. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
A história da paisagem na areia dos rios 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
PEREZ FILHO, ARCHIMEDES; RUBIRA, FELIPE GOMES. Evolutionary interpretation of Holocene landscapes in eastern Brazil by optimally stimulated luminescence: Surface coverings and climatic pulsations. CATENA, v. 172, p. 866-876, JAN 2019. Citações Web of Science: 2.
Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
FILHO, Archimedes Perez. O Holoceno superior na bacia do rio Itapicuru (Bahia/Brasil) : proposição de cenário para o baixo curso e planície costeira. 2017. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas, Instituto de Geociências.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.