Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo interlaboratorial para avaliação do diagnóstico sorológico da paracoccidioidomicose

Processo: 11/22467-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de março de 2012 - 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Carlos Pelleschi Taborda
Beneficiário:Carlos Pelleschi Taborda
Instituição-sede: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Gil Benard ; Gilda Maria Barbaro Del Negro ; Monica Scarpelli Martinelli Vidal
Assunto(s):Paracoccidioidomicose  Paracoccidioides brasiliensis  Sorologia  Antígenos 

Resumo

As micoses endêmicas apresentam distribuição geográfica definida e ocorrem onde as condições ambientais e fatores geo-climáticos propiciam a existência dos agentes na natureza. A paracoccidioidomicose (PCM) é uma infecção fúngica sistêmica, endêmica, sendo a mais prevalente na América Latina. O agente etiológico da PCM é o fungo dimórfico Paracoccidioides brasiliensis que apresenta distribuição heterogênea e cujo habitat é o solo. A infecção se dá por inalação dos propágulos fúngicos causando lesões granulomatosas nos pulmões que podem se disseminar via hematogênica e/ou linfática. Apesar do expressivo avanço em diversas áreas do conhecimento, a micose descrita por Adolpho Lutz em 1908 ainda demonstra taxas elevadas de mortalidade e morbidade e baixa visibilidade, configurando-se como oitava causa de mortalidade por doença predominantemente crônica ou repetitiva, entre as doenças infecciosas e parasitárias. O diagnóstico da PCM é realizado por meio de exame direto a fresco e com corantes, exame histopatológico em biópsias dos tecidos afetados e cultivo com subsequente isolamento e identificação do fungo, incluindo a reversão da fase filamentosa a 25ºC para a leveduriforme a 37ºC. Entretanto, o crescimento desse fungo é lento, podendo demorar de 15 a 30 dias, e as reações sorológicas contribuem para o auxílio diagnóstico rápido, simples e de baixo custo, além de apresentar valor prognóstico e auxiliar no monitoramento da eficácia terapêutica. Em nosso meio é grande a diversidade de metodologias e antígenos empregados no diagnóstico sorológico da PCM, devido à ausência de kits comerciais disponíveis para esse fim. Sendo assim, cada laboratório desenvolveu sua própria metodologia que vem contribuindo muito ao auxílio diagnóstico dessa micose. Entretanto, as diferenças nos isolados utilizados, meios de cultura e tempo de cultivo podem resultar em resultados discrepantes. Este estudo tem como objetivo avaliar essa diversidade metodológica e verificar os resultados obtidos nos diversos laboratórios de referencia em sorologia para micoses sistêmicas. O projeto prevê a inclusão de pelo menos cinco centros de excelência em diagnóstico da PCM nas principais zonas endêmicas do Estado de São Paulo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MARTINELLI VIDAL, MONICA SCARPELLI; BARBARO DEL NEGRO, GILDA MARIA; VICENTINI, ADRIANA PARDINI; ESTIVALET SVIDZINSKI, TERESINHA INEZ; MENDES-GIANNINI, MARIA JOSE; FUSCO ALMEIDA, ANA MARISA; MARTINEZ, ROBERTO; DE CAMARGO, ZOILO PIRES; TABORDA, CARLOS PELLESCHI; BENARD, GIL. Serological Diagnosis of Paracoccidioidomycosis: High Rate of Inter-laboratorial Variability among Medical Mycology Reference Centers. PLoS Neglected Tropical Diseases, v. 8, n. 9 SEP 2014. Citações Web of Science: 16.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.