Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da dieta hipercalórica sobre a programação fetal do metabolismo energético e da atividade das enzimas digestivas em ratos

Processo: 11/22011-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2012 - 31 de março de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Denise Rangel da Silva Sartori
Beneficiário:Denise Rangel da Silva Sartori
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Daniela Felipe Pinheiro ; José Buratini Junior ; Maria de Lourdes Mendes Vicentini Paulino
Bolsa(s) vinculada(s):13/14427-6 - Efeito da dieta hipercalórica sobre a programação fetal do metabolismo energético e da atividade das enzimas digestivas em ratos, BP.TT
12/06166-5 - Efeito da dieta hipercalórica sobre a programação fetal do metabolismo energético e da atividade das enzimas digestivas em ratos, BP.TT
Assunto(s):Metabolismo energético  Desenvolvimento fetal  Desmame  Gorduras na dieta 

Resumo

A resposta adaptativa dos animais à restrição alimentar em períodos iniciais do desenvolvimento, conhecida como programação fetal, aumenta as chances de sobrevivência sob condições de nutrição precárias. Entretanto, quando a restrição alimentar é seguida por uma dieta com maior disponibilidade de nutrientes, há risco de desenvolver doenças na vida adulta, como a obesidade e diabetes melito tipo 2, caracterizando a ocorrência de alterações metabólicas. O presente estudo tem por objetivo avaliar o efeito da dieta hipercalórica pós-desmame sobre o metabolismo energético e a atividade de enzimas digestivas em ratos machos nascidos de mães que sofreram restrição de nutrientes durante a gestação e lactação. Serão determinados a evolução do peso corpóreo, a deposição de gordura em diferentes tecidos (fígado, carcaça e tecidos adiposos retroperitonial, e perigonadal), glicogênio hepático e os níveis plasmáticos de insulina e lipídeos em animais com 3 e 16 semanas de idade. Nos animais adultos (16 semanas) será realizado também o teste de tolerância à glicose e determinada a expressão gênica do GLUT4 no músculo e no tecido adiposo. Na comparação dos dados será utilizado o teste t de Student (p<0,05) para os animais com 21 dias de idade e análise de variância, em esquema fatorial 2x2, sendo 2 níveis de alimentação na gestação e lactação (ad libitum e restrito) e 2 níveis de dieta após desmame (controle e hipercalórica) para os animais com 16 semanas de idade. (AU)