Busca avançada
Ano de início
Entree

Atividade moduladora da alga Chlorella Vulgaris sobre parâmetros imunohematopoeticos,metabolicos e de sinalização de insulina em animais obesos

Processo: 11/50903-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2012 - 31 de março de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunologia Aplicada
Pesquisador responsável:Mary Luci de Souza Queiroz
Beneficiário:Mary Luci de Souza Queiroz
Instituição-sede: Centro de Hematologia e Hemoterapia (HEMOCENTRO). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Obesidade  Leptina  Chlorella vulgaris  Insulina 

Resumo

A obesidade resulta de uma complexa interação entre fatores comportamentais, culturais, genéticos, fisiológicos e psicológicos, sendo decorrente de fatores endócrino-metabólicos ou externos. Dietas hipercalóricas são utilizadas em modelos experimentais de obesidade por promoverem resistência hipotalâmica à leptina e à insulina, com resultante ganho de peso. A leptina, hormônio protéico produzido pelos adipócitos, é um fator chave na manutenção da homeostase, particularmente, na sinalização das respostas imune e hematopoética. A insulina, secretada pelas células β das ilhotas pancreáticas, é essencial para a manutenção da homeostase da glicose e do crescimento e diferenciação celular. O tratamento farmacológico da obesidade, embora tenha certa eficácia na perda de peso, apresenta efeitos colaterais indesejáveis. A busca por agentes naturais que minimizem tais efeitos e sejam efetivos na regulação dos distúrbios observados na obesidade vem recebendo atenção crescente. Nesse sentido, a Chlorella vulgaris (CV), alga unicelular de água doce rica em nutrientes e comumente utilizada como suplemento alimentar surge como alternativa terapêutica e profilática. Estudos clínicos e experimentais em obesos demonstram que a administração de CV pode normalizar os níveis séricos de colesterol e de glicose e reduzir a hipertensão e o peso corporal. Além disso, por ser um alimento completo, age como complemento nutricional em regimes de emagrecimento aumentando a sensação de saciedade. Considerando as funções da CV e a relação da leptina e da insulina com a obesidade, questiona-se neste projeto qual o efeito desta alga na modulação imunohematopoética, metabólica e de sinalização da insulina em animais obesos. Estudos preliminares realizados em nosso laboratório demonstraram a capacidade de CV de reduzir a glicemia e reverter a mielossupressão nestes animais. Valores significativamente menores de glicemia, determinados pelos testes de tolerância à glicose e à insulina, foram observados nos animais obesos tratados com CV, sugerindo melhora na sensibilidade à insulina. Tais achados nos encorajam a prosseguir com os estudos sobre os mecanismos subjacentes ao efeito modulador da alga em quadros de obesidade. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VECINA, JULIANA FALCATO; OLIVEIRA, ALEXANDRE GABARRA; ARAUJO, TIAGO GOMES; BAGGIO, SUELI REGINA; TORELLO, CRISTIANE OKUDA; ABDALLA SAAD, MARIO JOSE; DE SOUZA QUEIROZ, MARY LUCI. Chlorella modulates insulin signaling pathway and prevents high-fat diet-induced insulin resistance in mice. Life Sciences, v. 95, n. 1, p. 45-52, JAN 24 2014. Citações Web of Science: 14.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.