Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do perfil Th17 em pacientes com Imunodeficiência Comum Variável (ICV) com ou sem autoimunidade

Processo: 11/22076-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de abril de 2012 - 31 de março de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Cristina Maria Kokron
Beneficiário:Cristina Maria Kokron
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Imunologia clínica  Imunodeficiência de variável comum  Linfócitos T reguladores  Células Th17  Citocinas  Autoimunidade  Imunidade inata 

Resumo

Imunodeficiência Comum Variável (ICV) é a deficiência de anticorpos sintomática mais comum, caracterizada por susceptibilidade aumentada a infecções, doenças autoimunes e neoplasias, e cuja patogênese não é bem conhecida. Entre as anormalidades imunológicas observadas na ICV estão defeitos na diferenciação de linfócitos B ou distúrbios em células T, alterações na expressão de receptores e produção de citocinas, distúrbios em células reguladoras além de distúrbios da imunidade inata. Objetivo: Avaliar o perfil TH17 dos pacientes com ICV acompanhados no ambulatório de Imunodeficiências Primárias do Serviço de Imunologia do HC-FMUSP, verificando se os pacientes com ICV e autoimunidade apresentam padrão da resposta celular polarizada para o perfil TH17. Método: O grupo de estudo será composto por 40 pacientes com diagnóstico de ICV, recrutados no Serviço de Imunologia Clínica e Alergia do HC-FMUSP, sendo 20 com e 20 sem autoimunidade. Faremos a caracterização dos linfócitos T por citometria de fluxo utilizando um painel de ativação (CD3, CD4, CD8, HLA-DR, CD38 e CD69), um painel para células T reguladoras (CD3, CD4, CD25, CD127, FoxP3 e Live/dead) e um painel funcional (CD3, CD4, Live/dead, TNF-±, IFN-³, IL-2, IL-17 e IL-21) após estimulação por 16 horas. Analisaremos a produção de citocinas padrão TH1/TH2/TH17, pelo método CBA (BD) no sobrenadante das culturas celulares, e faremos a detecção de IL-23 no soro dos pacientes por ELISA. Faremos também a quantificação de expressão de IL-6 e TGF-² por RT-qPCR para confirmar uma possível polarização para o perfil TH17. Resultados esperados: Sabemos que pacientes com ICV e autoimunidade apresentam produção anormal de citocinas com desvio para o padrão TH1 além de redução de células T reguladoras, entretanto, existe apenas um trabalho na literatura sobre o padrão da resposta celular TH17 em pacientes com hipogamaglobulinemia, entre eles ICV. A partir de dados que atribuem à resposta celular TH17 como possível indutora de autoimunidade, esperamos encontrar um padrão de citocinas que caracterize este perfil no grupo de pacientes com ICV e autoimunidade. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Defesas vulneráveis