Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo da prevalência de bactérias portadoras de genes de resistência a antimicrobianos e de genes de virulência na microbiota intestinal de indivíduos sadios

Processo: 12/03395-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2012 - 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Antonio Carlos Campos Pignatari
Beneficiário:Antonio Carlos Campos Pignatari
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Katya da Silva Patekoski ; Rosa Maria Silva
Assunto(s):Microbiologia médica  Biota intestinal  Bactérias gram-negativas  Escherichia coli  Fatores de virulência  Resistência microbiana a medicamentos  Mutação  Análise de sequência de DNA 

Resumo

Grande parte das bactérias envolvidas nas infecções associadas aos cuidados com a saúde têm como habitat o trato intestinal, estando os bacilos Gram-negativos entre as de maior importância. O conhecimento sobre resistência e virulência bacteriana advém, em geral, de estudos com isolados de processos infecciosos, sendo raros os trabalhos que enfocam os possíveis reservatórios destas bactérias. O presente estudo pretende avaliar a prevalência de bactérias Gram-negativas resistentes às quinolonas e aos antibióticos ²-lactâmicos nas fezes de indivíduos sadios, pesquisar nos isolados a presença de genes e mutações que conferem resistência a estes antimicrobianos, avaliar o perfil de sensibilidade a outros antimicrobianos e determinar a relação genômica entre isolados de mesma espécie e perfis semelhantes, verificar a presença de plasmídeos conjugativos com marcadores de resistência e avaliar as amostras de E. coli também quanto à origem filogenética e presença de genes de virulência. Material fecal será coletado de 137 indivíduos. O isolamento será realizado em placas com ágar MacConkey e ácido nalidíxico (50¼g/mL); com ágar MacConkey e discos contendo carbapenens (10¼g); com ágar MacConkey e imipenem (1¼g/mL); com CHROMagarTM ESBL e com CHROMagarTM KPC. O perfil de sensibilidade será avaliado em sistema BD Phoenix e por diluição em ágar, com avaliação de amostras com perfil semelhante pela técnica de PFGE. Apresença de plasmídeos conjugativos será verificada pela técnica de conjugação. A pesquisa de todos os genes será realizada pela técnica de PCR, sendo as mutações verificadas por sequenciamento. O conhecimento resultante deste estudo poderá ser importante para modelar ações de controle de infecções e de espalhamento de genes de resistência, além de contribuir para a tomada de decisões sobre tratamentos empíricos. (AU)