Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos mecanismos envolvidos nos efeitos benéficos do treinamento físico aeróbico em pacientes com disfunção microvascular coronariana

Processo: 11/20716-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2012 - 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Marcus Vinicius Simões
Beneficiário:Marcus Vinicius Simões
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Cardiologia  Angina pectoris  Circulação coronária  Treinamento físico 

Resumo

Estudo recentemente conduzido do nosso grupo de investigação mostrou que o treinamento físico aeróbico promove expressiva melhora da perfusão miocárdica e da precordialgia em pacientes com disfunção microvascular coronariana. O presente projeto visa investigar os mecanismos pelo qual o treinamento físico aeróbico exerce este efeito benéfico focalizando especificamente a correlação individual e quantitativa entre a redução dos defeitos perfusionais reversíveis na cintilografia miocárdica de perfusão, com gated-SPECT-99Tc-sestamibi, e 1 - vasodilatação dependente do endotélio; 2 - reatividade vascular associada ao estímulo simpático (cold pressor test) e 3 - alterações da atividade neuronal simpática cardíaca mediante emprego de imagens cintilográficas com MIBG-I123. 4 - melhora do equilíbrio simpático/vagal mediante análise da variabilidade de freqüência cardíaca. Serão prospectivamente investigados 60 pacientes com diagnóstico de disfunção microvascular coronariana, divididos em 4 grupos de investigação: Dois grupos que serão submetidos ao treinamento físico: Grupo Isquemia microvascular primária (n=15) e Grupo Isquemia microvascular associada à doença aterosclerótica coronária (n=15). Dois grupos controles (n=15 por grupo) com as mesmas características, mas que não serão treinados. Os pacientes serão submetidos à avaliação inicial compreendendo: teste cardiopulmonar, avaliação da função endotelial (resposta vasodilatadora pós-isquemia), cintilografia de perfusão miocárdica, avaliação da reatividade vascular ao cold pressor test, avaliação quantitativa da atividade simpática cardíaca mediante emprego da cintilografia miocárdica com MIBG-I123 e variabilidade da frequência cardíaca. Após a avaliação inicial, os pacientes dos grupos de tratamento serão submetidos a treinamento físico aeróbico, em esteira rolante, três vezes por semana por um período de oito semanas. Após esse período de 8 semanas, todos os grupos serão submetidos a nova avaliação empregando-se os mesmos métodos de investigação aplicados na condição basal. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.