Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação ecotoxicológica e risco ambiental dos inseticidas diflubenzuron e temefós para Daphnia magna, Lemna minor e peixes

Processo: 11/21425-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2012 - 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Toxicologia
Pesquisador responsável:Joaquim Gonçalves Machado Neto
Beneficiário:Joaquim Gonçalves Machado Neto
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):12/12286-3 - Avaliação ecotoxicológica e risco ambiental dos inseticidas Diflubenzuron e Temefós para Daphnia magna, Lemna minor e peixes, BP.TT
Assunto(s):Ecotoxicologia  Agrotóxicos  Inseticidas  Resíduos tóxicos  Poluição da água  Peixes  Crustáceos  Macrófitas 

Resumo

O uso dos agrotóxicos temefós e diflubenzuron na agricultura, aquicultura e combate a vetores de doenças pode acarretar desequilíbrios ambientais, e a ocorrência destes efeitos são analisados por estudos ecotoxicológicos e avaliações de risco ambiental. O presente trabalho tem como objetivos: 1) Determinar a toxicidade aguda dos agrotóxicos diflubenzuron e temefós para o microcrustáceo Daphnia magna, para os peixes tilápia do nilo (Oreochromus niloticus) e mato grosso (Hyphessobrycon eques) e para a macrófita Lemna minor, na presença e na ausência de solo com sedimento; 2) Determinar a toxicidade crônica dos agrotóxicos diflubenzuron e temefós para o microcrustáceo Daphnia magna, para os peixes tilapia do nilo (Oreochromus niloticus) e mato grosso (Hyphessobrycon eques) e para a macrófita Lemna minor, na presença e na ausência de solo sedimento. 3) Classificar os dois larvicidas pelo potencial de risco de intoxicação aguda e crônica para os três organismos testes. 4) Avaliar a concentração de resíduos nas águas do teste de toxicidade crônica com O. niloticus. Em testes de determinação da toxicidade aguda dos inseticidas será determinada a concentração letal média (CL50) para O. niloticus e H. eques, concentração efetiva média (CE50) para D. magna e concentração de inibição média (CI50) para L. minor em condições de laboratório. Para os testes crônicos, serão avaliados longevidade e fecundidade de D. magna, taxa de crescimento relativa de L. minor, e longevidade de O. niloticus e H. eques. Os valores das concentrações determinados nos testes serão utilizados para classificar os inseticidas quanto ao potencial tóxico para estas espécies. Será calculado o potencial de risco de intoxicação ambiental aguda por meio do método do quociente (Q). Nos testes de toxicidade cronica determinados os valores da concentração de efeito não observado (CENO), concentração de efeito observado (CEO), e valor crônico (VC). Para análise de resíduos dos agrotóxicos na água, serão coletadas amostras de água dos testes de H. eques e determinada por cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE), utilizando-se um sistema cromatográfico equipado com detector ultravioleta e loop de 20 ¼L. (AU)