Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo imunofenotípico e molecular em diferentes tecidos ao longo da vida de ratas diabéticas e em seus descendentes

Processo: 11/18519-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de maio de 2012 - 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Embriologia
Pesquisador responsável:Débora Cristina Damasceno
Beneficiário:Débora Cristina Damasceno
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes gestacional  Dano ao DNA  Estresse oxidativo  Pâncreas  Placenta 

Resumo

A grande maioria dos modelos experimentais utiliza agentes beta (²)-citotóxicos, como o streptozotocin (STZ), capazes de inibir a síntese de pró-insulina nas células ²-pancreáticas, induzindo o diabete. Estudos realizados em nosso laboratório têm focado a compreensão dos mecanismos fisiopatológicos envolvendo a relação diabete grave e prenhez em ratas, utilizando o modelo dose única de STZ (40 mg/kg) na vida adulta do animal. Nossos resultados prévios mostraram que ratas com diabete grave apresentam glicemia acima de 300 mg/dL, aumento nas taxas de perda embrionária após a implantação, aumento na incidência de anomalias fetais e alterações no sistema de defesa antioxidante. Além disso, ratas com diabete grave exibem aumento nos níveis de danos de DNA (genotoxicidade aumentada) na presença ou não de prenhez. Sabe-se também, que 90% dos pacientes diabéticos são portadores do Diabetes mellitus tipo 2 (DM 2), o que também é um fator importante para que esta condição seja melhor estudada. No nosso grupo de pesquisa também temos estudado o diabete moderado, na qual os animais apresentam glicemia entre 120 e 300 mg/dL, com nível glicêmico compatível ao DM2 ou DM gestacional. Para a indução do diabete de intensidade moderada os animais foram tratados com STZ no período neonatal, o que alterou a glicemia materna no início da prenhez e deflagrou alterações no organismo materno e/ou embrionário, afetando o processo de implantação e subseqüentemente o desenvolvimento placentário e fetal. Também foi observado aumento nas atividades de enzimas antioxidantes em eritrócitos e placenta, sugerindo que o aumento desses biomarcadores pode agir como fatores de equilíbrio para conter o estresse oxidativo pós-picos hiperglicêmicos. As ratas com diabete moderado apresentam intolerância à glicose no período correspondente ao aparecimento de diabete gestacional em mulheres, mas, no entanto, não apresentam outras alterações glicêmicas ao final da prenhez. Em outro modelo de indução de diabete moderado (administração de STZ no período neonatal e na prenhez) constatou-se que as ratas diabéticas apresentaram alteração no peso da ninhada e na porcentagem de perda pré e pós-implantação embrionária, mas também deixaram de apresentar hiperglicemia no período fetal. Desta forma, dúvidas permanecem em relação aos fatores envolvidos nas oscilações glicêmicas nas ratas com diabete moderado induzido no período neonatal particularmente em função da capacidade de regeneração das células ²-pancreáticas. Assim, neste estudo, por meio de diferentes abordagens metodológicas pretendemos avançar conhecimentos sobre os processos de proliferação e morte das células ²-pancreáticas durante diferentes fases da vida de ratos controle e diabético. Serão utilizadas: a) técnica de qRT-PCR real time; b) técnica de indução do diabete moderado, c) Western blotting, d) imunoistoquímica, e) morfometria, f) espectrofotometria, g) Elisa. Este projeto conta com a colaboração de pesquisadores de outro departamento (Clínica Médica) e outras instituições (Faculdade de Medicina de Marília_FAMEMA e USP_São Paulo). Além disso, este projeto estabelece uma interação multidisciplinar (Biologia Molecular, Biologia Celular, Histologia, Bioquímica, Embriologia, Fisiologia e Genética). Ao término deste trabalho, pretendemos adquirir conhecimento sobre os mecanismos fisiopatológicos envolvidos na proliferação e na morte das células ²-pancreáticas relacionados ao diabete e suas consequencias (hipóxia e estresse oxidativo) visando, futuramente, diminuir as repercussões deletérias causadas por esta síndrome, especialmente sob o ponto de vista obstétrico e perinatal. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
GALLEGO, FRANCIANE QUINTANILHA; MIRANDA, CAROLINA ABREU; SINZATO, YURI KAREN; IESSI, ISABELA LOVIZUTTO; DALLAQUA, BRUNA; HERNANDEZ PANDO, ROGELIO; ROCHA, NOEME SOUSA; VOLPATO, GUSTAVO TADEU; DAMASCENO, DEBORA CRISTINA. Temporal analysis of distribution pattern of islet cells and antioxidant enzymes for diabetes onset in postnatal critical development window in rats. Life Sciences, v. 226, p. 57-67, JUN 1 2019. Citações Web of Science: 0.
GALLEGO, FRANCIANE QUINTANILHA; SINZATO, YURI KAREN; MIRANDA, CAROLINA ABREU; IESSI, ISABELA LOVIZUTTO; DALLAQUA, BRUNA; VOLPATO, GUSTAVO TADEU; SCARANO, WELLERSON RODRIGO; SANMARTIN, SEBASTIAN; DAMASCENO, DEBORA CRISTINA. Pancreatic islet response to diabetes during pregnancy in rats. Life Sciences, v. 214, p. 1-10, DEC 1 2018. Citações Web of Science: 2.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.