Busca avançada
Ano de início
Entree

Nutrição do cafeeiro com níquel e interação com o metabolismo do nitrogênio e senescência

Processo: 12/01607-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de outubro de 2012 - 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:José Laércio Favarin
Beneficiário:José Laércio Favarin
Instituição-sede: Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (ESALQ). Universidade de São Paulo (USP). Piracicaba , SP, Brasil
Assunto(s):Nutrição vegetal  Adubação foliar  Fertilizantes  Cafeicultura  Níquel  Nitrogênio  Arginina  Urease 

Resumo

O nitrogênio é o nutriente exigido em maior quantidade pelo cafeeiro e o segundo mais exportado pela planta, sendo fundamental na síntese de diversos compostos. Usualmente se aplica uréia no cafeeiro e o N desta fonte é rapidamente metabolizado e incorporado na forma de aminoácidos e amidas. A assimilação do nitrogênio é afetada por diversos micronutrientes, entre eles o níquel (Ni), por ser este um constituinte da enzima urease, responsável pela degradação da uréia. A deficiência de Ni também pode levar ao acúmulo de nitrato devido à baixa atividade da enzima malato desidrogenase, a qual fornece energia ao processo de redução do nitrato. O entendimento da interação do Ni com o metabolismo do N e o processo de senescência no cafeeiro é importante para o uso eficiente do nitrogênio pelas plantas. Dados do balanço do consumo de nutrientes das principais culturas brasileiras apontam que o cafeeiro é a cultura que apresenta o menor índice de aproveitamento, com valor de 8% para o nitrogênio. Desde 2007 o Ni está inserido na legislação brasileira de fertilizantes, entretanto pouco se sabe a respeito da sua ação no metabolismo do nitrogênio e no processo de senescência foliar nas culturas agrícolas. Assim, o objetivo deste trabalho é compreender se a nutrição do cafeeiro com Ni contribui para o aumento da eficiência no uso do N e/ou retarda a senescência foliar, bem como caracterizar as respostas fisiológicas e bioquímicas, e também recomendar a sua aplicação no manejo da adubação do cafeeiro. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.