Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência dos quimiorreceptores periféricos na hiperatividade simpática após infarto do miocárdio em ratos

Processo: 12/03926-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2012 - 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Rubens Fazan Junior
Beneficiário:Rubens Fazan Junior
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia cardiovascular  Insuficiência cardíaca  Infarto do miocárdio  Sistema nervoso simpático  Células quimiorreceptoras 

Resumo

A insuficiência cardíaca (IC) é caracteristicamente acompanhada por um notável aumento da atividade simpática. Diversos estudos mostraram que os quimiorreceptores periféricos (potentes estimuladores da atividade simpática) têm sensibilidade aumentada tanto em pacientes, como em modelos experimentais de IC. O presente estudo propõe avaliar a influência dos quimiorreceptores carotídeos sobre a hiperatividade simpática e a função cardíaca em ratos com IC induzida pelo infarto do miocárdio (IM). Ratos adultos jovens (250 g) da linhagem Wistar serão instrumentados com cateteres na jugular e com sondas para registro, por telemetria, da pressão arterial (PA) e atividade do nervo simpático renal (ANSR). Variações na PA, provocadas por drogas vasoativas, serão utilizadas para avaliação da sensibilidade do barorreflexo. A seguir, a sensibilidade do quimiorreflexo será avaliada em rápidas sessões de hipóxia (7% O2). Nos 2 dias que se seguem à determinação da sensibilidade do baro- e quimiorreflexo, os ratos receberão atropina e propranolol (i.v.) para estudo do tono autonômico cardíaco e frequência intrínseca de marcapasso. Então, os ratos terão o ramo descendente anterior da artéria coronária esquerda ligado cirurgicamente, para provocar um extenso IM. Ratos controle terão a coronária isolada, mas mantida intacta. Ratos com IM (e controles) terão a artéria nutridora do corpúsculo carotídeo ligada cirurgicamente, para destruição dos quimiorreceptores periféricos por isquemia. Após a indução do IM, os ratos serão submetidos a sessões de registro, por telemetria, da PA e ANSR durante 2 horas, a cada 3 dias, por 4 semanas. Esses registros serão utilizados para avaliação da PA, FC e ANSR ao longo do desenvolvimento da IC, e também para estudo da variabilidade da PA e FC, nos domínios do tempo e frequência (análise espectral). Ao final de 4 semanas, novos testes de sensibilidade do baro- e quimiorreflexo, assim como avaliação do tono autonômico serão realizadas. Então, os ratos serão anestesiados e submetidos ao estudo da função cardíaca pela introdução, no ventrículo, de um catéter especialmente projetado para medida da pressão no ventrículo. Ao final, os ratos terão o coração retirado e fixado para análise histológica e determinação da área de lesão miocárdica. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SILVA, LUIZ EDUARDO V.; RODRIGUES, FERNANDA LUCIANO; DE OLIVEIRA, MAURO; SALGADO, HELIO CESAR; FAZAN, JR., RUBENS. Heart rate complexity in sinoaortic-denervated mice. Experimental Physiology, v. 100, n. 2, p. 156-163, FEB 1 2015. Citações Web of Science: 6.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.