Busca avançada
Ano de início
Entree

Dieta hipercolesterolêmica provoca aterosclerose em aneurisma de aorta abdominal: estudo dos mecanismos em modelo experimental

Processo: 12/00601-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2012 - 28 de fevereiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Simone Gusmão Ramos
Beneficiário:Simone Gusmão Ramos
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Doenças cardiovasculares  Aneurisma da aorta abdominal  Aterosclerose  Apoptose  Catepsinas  Hipercolesterolemia 

Resumo

Aneurisma de aorta abdominal (AAA) é uma doença crônica degenerativa da parede aórtica, frequentemente relacionada à aterosclerose. Os mecanismos implicados na formação e progressão dos AAAs ainda não estão completamente esclarecidos, pois apenas 10% dos pacientes com aterosclerose grave desenvolvem aneurismas. Um dos possíveis mecanismos seria uma maciça apoptose das células musculares lisas (CML) da camada média da aorta, o que parece ser um evento crucial na formação dos AAAs. Esta morte programada estaria associada à ação de enzimas proteolíticas lisossomais pertencentes à família das cisteínas proteases, conhecidas como catepsinas. Entretanto, a apoptose é um evento complexo que ocorre por duas vias, uma iniciada por fatores extrínsecos, com a ativação de receptores na superfície celular, e a outra por fatores intrínsecos, em resposta ao dano celular e estresse oxidativo. Num experimento-piloto usando um modelo experimental de AAA, vimos que a introdução de uma dieta hipercolesterolêmica leva à formação de placas de gordura apenas na parede aneurismática, resguardando o segmento da aorta com diâmetro normal. Esses achados possibilitaram o desenvolvimento de um projeto inédito, que irá investigar a influência das catepsinas nos mecanismos associados a apoptose das CMLs, na presença e ausência de placas ateroscleróticas em um modelo experimental de AAA. O entendimento desses mecanismos poderá auxiliar na elaboração de estratégias de tratamento e prevenção dos AAA. Esse projeto terá o apoio e a colaboração da Universidade de Harvard através do Prof. Guo-Ping Shi, especialista no estudo das catepsinas na parede arterial. (AU)