Busca avançada
Ano de início
Entree

Determinação do ritmo de aumento do TSH em pacientes tireoidectomizados por câncer papilífero de tireóide

Resumo

A tireóide é uma glândula endócrina, cujas células são secretoras de proteínas. Dentro das células é sintetizado e secretado a tireoglobulina, esta se combina com o iodo oxidado e origina os hormônios tireoideanos, tiroxina (T4) e triiodotironina (T3). O ritmo de produção hormonal da tireóide é controlado principalmente pelo hormônio estimulante da tireóide (TSH) que é secretado pela glândula hipófise, e regulado através do mecanismo de feedback. Os hormônios tireoidianos regulam o ritmo metabólico do organismo. O carcinoma papilífero é o tipo de câncer mais comum e que tem melhor prognóstico. O diagnóstico, tratamento e acompanhamento dos pacientes portadores de carcinoma papilífero estão associados ao uso de técnicas de medicina nuclear como a pesquisa de corpo inteiro com ¹³¹Iodo (PCI) e tratamento ablativo com ¹³¹Iodo. A PCI é realizada após tireoidectomia total com TSH e30µUI/dL e tem a finalidade de avaliar a extensão residual de tecidos tireoidianos e detectar metástases regionais e à distância. O paciente permanece em supressão hormonal por 4 semanas apresentando estado de hipotireoidismo e inicia-se todos os sintomas indesejáveis que compreendem desde sonolência extrema até insuficiência cardíaca congestiva. Estudo realizado em nosso grupo com 154 pacientes consecutivos, com a finalidade de estudar a utilização do método SPECT-CT na determinação topográfica das regiões iodoconcentrantes cervicais, após tireoidectomia total, observamos na data do exame, TSH médio de 107,93µUI/dL, ou seja, três vezes maior que o necessário para realização da PCI. A partir desta observação, formulamos a hipótese de ser possível a redução do período de preparo fundamentado na análise dos níveis de TSH após a tireoidectomia total, determinando-se o melhor momento para o exame e assim reduzindo-se os efeitos adversos do hipotireoidismo. (AU)