Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil metabólico da cana-de-açúcar e do eucalipto tratados com o herbicida glyphosate

Processo: 12/04439-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2012 - 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Caio Antonio Carbonari
Beneficiário:Caio Antonio Carbonari
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Pesq. associados:Edivaldo Domingues Velini
Assunto(s):Controle químico  Plantas daninhas  Herbicidas  Metabólitos  Resíduos de pesticidas em plantas 

Resumo

Os objetivos deste estudo são desenvolver metodologias de extração e quantificação dos metabólitos em LC/MS/MS, determinar o perfil metabólico de plantas de cana-de-açúcar e eucalipto tratadas ou não com o herbicida glyphosate e avaliar os efeitos do herbicida em compostos importantes para a defesa das plantas e o metabolismo do glyphosate. Os métodos analíticos serão desenvolvidos em um cromatógrafo líquido de alta eficiência acoplado a um espectrômetro de massas triplo quadrupolo (3200 Q TRAP LC/MS/MS). As plantas de eucalipto e cana-de-açúcar receberão a aplicação do herbicida glyphosate nas doses de 7,2; 18; 36; 72; 720 e 1440 g e.a. ha-1; e serão mantidas plantas sem aplicação do herbicida (testemunhas). Aos 2, 7, 14 e 21 dias após a aplicação (DAA) do glyphosate serão coletadas quatro plantas (repetições) de cada tratamento, para determinação dos seguintes compostos: ácido quínico, ácido chiquímico, chiquimato-3-fosfato, ácido corísmico, ácido transcinâmico, ácido Á-cumárico, ácido caféico, ácido ferúlico, ácido clorogênico, ácido salicílico, ácido protocatecuico, ácido gálico, ácido amino metil fosfônico (AMPA), glyphosate e os três aminoácidos aromáticos (fenilalanina, tirosina e triptofano). Será realizado um experimento para avaliar se as plantas de diferentes variedades de cana-de-açúcar e clones de eucalipto metabolizam o glyphosate, promovendo a absorção radicular do produto, de forma a evitar que o resíduo de glyphosate na parte externa das folhas seja metabolizado por microorganismos e o AMPA proveniente dessa degradação seja absorvido e encontrado nas folhas, o que já foi identificado em testes prévios. Os dados serão submetidos à Análise de Correlação entre os metabólitos, à Análise de Variância pelo teste F (5% de probabilidade) e as médias comparadas pelo teste t (a 5% de probabilidade). (AU)