Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfil de metilação do RASSF-1A éxon 1 em queilite actínica e carcinoma epidermóide de lábio inferior através da técnica de pirossequenciamento

Processo: 11/21915-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2012 - 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Luiz Paulo Kowalski
Beneficiário:Luiz Paulo Kowalski
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Estela Kaminagakura Tango
Assunto(s):Estomatologia  Neoplasias bucais  Raios ultravioleta  Metilação de DNA  Epigênese genética 

Resumo

A exposição crônica à radiação UVB pode provocar hipermetilação e silenciamento do gene supressor de tumor RASSF-1A que codifica uma proteína moduladora de várias funções essenciais para o controle celular. Os objetivos deste estudo serão investigar a significância clínica do perfil de metilação do RASSF-1A éxon 1 e da sua expressão protéica na queilite actínica e no carcinoma epidermóide do vermelhão do lábio inferior. Os dados demográficos e clínicopatológicos serão coletados dos prontuários dos pacientes com diagnóstico confirmado. O DNA de 90 amostras de tecidos parafinados será extraído e submetido ao tratamento com bissulfito de sódio. Os DNAs tratados e íntegros serão submetido à amplificação por PCR, utilizando-se o iniciador específico para o RASSF-1A éxon 1. A reação de síntese por sequenciamento da fita complementar será realizada automaticamente; o sinal emitido durante a reação será detectado por uma câmera e convertido em picos para formar um pirograma. O cut off para se considerar que esta região esteja hipermetilado será Ã10%. Posteriormente, para a validação dos resultados obtidos serão realizadas reações imunoistoquímicas anti-RASSF-1A. Os dados serão submetidos a testes estatístico de Qui-quadrado ou exato de Fisher. Para os casos de carcinoma, o método de Kaplan Meier será aplicado para verificar as taxas de sobrevida atuarial e o teste de log-rank será utilizado para se comparar as curvas de sobrevida. Para todos os testes estatísticos o nível de significância de 5% será adotado. (AU)