Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um modelo tridimensional de pele humana para testes de sensibilidade in vitro de fármacos, medicamentos e cosméticos

Processo: 12/06575-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2012 - 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Biologia Geral
Pesquisador responsável:Monica Beatriz Mathor
Beneficiário:Monica Beatriz Mathor
Instituição-sede: Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares (IPEN). Secretaria de Desenvolvimento Econômico (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cultura de células  Fibroblastos  Queratinócitos  Melanócitos  Células de Langerhans  Alergia e imunologia 

Resumo

A pele é o maior órgão do corpo humano e constitui a principal defesa do organismo contra agentes físicos e químicos, sendo também fundamental contra a perda de água por dessecação. É formada por duas camadas distintas, mas complementares, denominadas derme e epiderme, as células que compõe estas camadas são: fibroblastos, queratinócitos, melanócitos e células de Langerhans, as quais desempenham um papel fundamental na hipersensibilidade de contato. Graças ao grande desenvolvimento do cultivo celular e descoberta de que as células cultivadas podem ser reagrupadas de acordo com o delineamento experimental, se torna possível a criação de equivalentes dermoepidérmicos in vitro, os quais são o objetivo deste trabalho, compostos por fibroblastos, queratinócitos, melanócitos e células de Langerhans imaturas, para estudos sobre a fase inicial da reação alérgica e processos de sensibilização da pele como um todo, tendo na criação de tal modelo um substituto epidérmico capaz de suplantar a necessidade da utilização de modelos animais, pois testes de sensibilidade dos tecidos causam dor e desconforto, sendo os resultados nem sempre preditivos para aqueles encontrados em seres humanos para testes de alergenicidade de cosméticos e fármacos em geral. Os equivalentes dermoepidérmicos serão avaliados por meio de estudos histológicos para confirmação da sua morfologia e testados por imunohistoquímica e teste colorimétrico MTS. Para realização do objetivo proposto os fibroblastos, queratinócitos e demais células, serão obtidos a partir de amostras de pele sadia doadas pelo Banco de Tecidos do Instituto Central do Hospital das Clinicas (ICHC) da FMUSP com finalidade de pesquisa. (AU)