Busca avançada
Ano de início
Entree

Analise de mutacoes dos genes hfe,hamp,hjv e tfr2 em pacientes com sobregarga de ferro e relacao entre genotipos e aspectos clinicos e anatomopatologicos.

Processo: 11/51792-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2012 - 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Eduardo Luiz Rachid Cancado
Beneficiário:Eduardo Luiz Rachid Cancado
Instituição-sede: Instituto de Medicina Tropical de São Paulo (IMT). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Hemocromatose  Fenótipo  Genes  Hepcidina 

Resumo

A hemocromatose hereditária (HH) é uma doença sistêmica devido ao acumulo de ferro secundário a mutações nos genes HFE, HAMP, HJV e TfR2 que afetam a produção de hepcidina, um peptídeo que diminui o influxo de ferro no plasma. A lesão permanente dos órgãos se manifesta como cirrose hepática, escurecimento da pele, diabetes mellitus, artropatia, hipogonadismo e cardiopatia. As formas genéticas de HH levaram a uma melhor compreensão da toxicidade do ferro, melhor definição do papel das mutações no agravamento do dano tecidual e da predisposição ao surgimento de hepatocarcinoma, especialmente em doenças do fígado decorrentes de outras causas que não a sobrecarga primária de ferro. 0 objetivo deste estudo é determinar o fenótipo dos pacientes com HH clássica e não clássica e fazer uma relação com mutações dos genes HFE, HJV, HAMP e TfR2, e estabelecer as diferenças na apresentação clínica entre os indivíduos com fenótipos típicos da hemocromatose com ou sem mutações. Serão incluídos indivíduos com evidências de sobrecarga de ferro (saturação da transferrina >45% e níveis de ferritina > 350 ng/dl) com uma doença hepática crônica com mutações do gene HFE em homozigose ou em heterozigose composta. Após uma análise preliminar, cerca de 130 indivíduos foram elegíveis para o estudo e foram clinicamente caracterizados. Quinze destes pacientes apresentavam perfil clássico de mutações do gene HFE (C282 Y em homozigose ou em heterozigose com H63D), ambos os genótipos caracterizados como HH. Pacientes que apresentaram sintomas com até 35 anos de idade e sejam negativos para as mutações HFE, serão submetidos à determinação de mutações nos genes HAMP (3 exons) e HJV (4 exons) por sequenciamento. Todos os pacientes negativos para mutações HFE e que são heterozigotos para HAMP/HJV serão submetidos ao sequenciamento dos genes HFE (6 exons) e TfR2 (18 exons). A partir dos resultados, será estabelecida a relação entre genótipo e fenótipo. (AU)