Busca avançada
Ano de início
Entree

Filogeografia de anfíbios comuns em regiões pouco estudadas do Brasil:A Caatinga e a região subtropical

Processo: 12/50255-2
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de julho de 2012 - 30 de junho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia
Pesquisador responsável:João Miguel de Barros Alexandrino
Beneficiário:João Miguel de Barros Alexandrino
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Assunto(s):Filogeografia  Evolução molecular  Biogeografia  Anfíbios 

Resumo

O recente aumento de estudos filogeográficos da biota brasileira não se disseminou ainda para áreas como a Caatinga e a região subtropical. Propomos com este projeto preencher essa lacuna do conhecimento, examinando a filogeografia de quatro espécies de anfíbios anuros: três endêmicas da Caatinga; e uma outra comum na região subtropical do Brasil, Uruguai, Paraguai, e Argentina. A Caatinga é um bioma semiárido que ocupa uma grande parte do nordeste brasileiro, sendo talvez o bioma pior estudado do Brasil. Apesar de albergar uma biota largamente endêmica, a história biogeográfica da Caatinga é praticamente desconhecida. Serão assim selecionadas três espécies de anuros com características distintas (a nível da fisiologia e do comportamento) para i) testar a associação entre cenários de instabilidade histórica de habitat na Caatinga e a história biogeográfica das espécies, e ii) examinar a associação entre a diversidade genética das espécies e diferenças ao nível de características fisiológicas e comportamentais. Na região subtropical, foi selecionada uma espécie de anuro distribuída na Mata Atlântica, nos Pampas, e no Chaco, para examinar as hipóteses i) de que espécies subtropicais teriam sofrido maiores impactos demográficos como resultado de flutuação climática passada, em comparação com espécies de regiões tropicais, e ii) de que populações da espécie Hypsiboas pulchellus de regiões distintas pertençam a linhagens e/ou espécies distintas. Para tal, marcadores de DNA obtidos por sequenciamento de última geração serão usados para estudar padrões filogeográficos nas áreas de ocorrência das quatro espécies, efetuando inferências sobre as suas histórias demográficas com base em dados de seqüências de DNA multilocos. Os dados filogeográficos serão integrados com informação sobre flutuações climáticas passadas, e padrões de endemismo, para construir cenários históricos que possibilitem testes de hipóteses de diversificação usando dados filogeográficos. O conhecimento gerado poderá ser usado para propor mudanças taxonômicas e discutir questões relevantes para a conservação biológica das áreas de estudo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
THOME, MARIA TEREZA C.; CARSTENS, BRYAN C. Phylogeographic model selection leads to insight into the evolutionary history of four-eyed frogs. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, v. 113, n. 29, p. 8010-8017, JUL 19 2016. Citações Web of Science: 18.
THOME, MARIA TEREZA C.; SEQUEIRA, FERNANDO; BRUSQUETTI, FRANCISCO; CARSTENS, BRYAN; HADDAD, CELIO F. B.; RODRIGUES, MIGUEL TREFAUT; ALEXANDRINO, JOAO. Recurrent connections between Amazon and Atlantic forests shaped diversity in Caatinga four-eyed frogs. Journal of Biogeography, v. 43, n. 5, p. 1045-1056, MAY 2016. Citações Web of Science: 15.
THOME, M. T. C.; ALEXANDRINO, J.; LOPES, S.; HADDAD, C. F. B.; SEQUEIRA, F. Development and characterization of microsatellite markers for Brazilian four-eyed frogs (genus Pleurodema) endemic to the Caatinga biome. Genetics and Molecular Research, v. 13, n. 1, p. 1604-1608, 2014. Citações Web of Science: 1.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.