Busca avançada
Ano de início
Entree

Michael Lowy | École des Hautes Études en Sciences Sociales - França

Processo: 04/05538-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 04 de outubro de 2004 - 13 de novembro de 2004
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Teoria Literária
Pesquisador responsável:Marcus Vinicius Mazzari
Beneficiário:Marcus Vinicius Mazzari
Pesquisador visitante: Michael Lowy
Inst. do pesquisador visitante: École des Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS), França
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Teologia da libertação  Catolicismo  Intercâmbio de pesquisadores 

Resumo

Leon Naphta no Brasil?: em seu romance a montanha mágica, T. Mann criou um personagem enigmático e inquietante, um jesuíta alemão de origem judaica, Naphta, adversário implacável do liberalismo humanista. A personagem encarna as contradições e paradoxos da visão romântica do mundo. Se examinarmos a produção da teologia da libertação no Brasil (H. Assmann, L. Boff, Frei Betto) e alguns documentos de bispos brasileiros dos anos 1970, encontraremos uma combinação sui-generis de temas católicos e socialistas. Não se trata dos extremos contraditórios que caracterizam o estranho discurso de Naphta, mas ainda assim acredito que se possa definir esta corrente como manifestação sui-generis do romantismo anticapitalista. O fenômeno que encontramos no Brasil é diferente, não só pelo contexto histórico-cultural, mas também porque apresenta um maior grau de coerência. E, sobretudo porque conseguiu ter um impacto político extraordinário, que transformou a história do Brasil nas últimas décadas. A pesquisa será feita utilizando material bibliográfico disponível nas bibliotecas da USP; também se considerará a possibilidade de fazer entrevistas com alguns estudiosos do assunto. (AU)