Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da melatonina no controle respiratório de vertebrados

Processo: 08/57829-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência: 01 de agosto de 2009 - 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia Comparada
Pesquisador responsável:Adriana Paula Sanchez Schiaveto
Beneficiário:Adriana Paula Sanchez Schiaveto
Instituição-sede: Faculdades Integradas Padre Albino (FIPA). Fundação Padre Albino (FPA). Catanduva , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):11/22204-1 - Avaliação do efeito da melatonina sobre sobre o padrão sazonal da ventilação em lagartos teiús (Tupinambis merianae) durante a hipercapnia e a hipóxia, BP.IC
11/06656-0 - Efeito da injeção de melatonina intracerebroventricular sobre as respostas ventilatórias à hipóxia de 7% e à hipercarbia de 7% em Ratos Wistar, BP.IC
11/06700-9 - Efeito da melatonina na expressão da proteína c-Fos no tronco encefálico de Ratos Wistar, BP.IC
+ mais bolsas vinculadas 09/15614-9 - Efeito da melatonina na expressão da proteína Fos no tronco encefálico de ratos Wistar, BP.IC
09/15792-4 - Efeito da injeção de melatonina intracerebroventricular sobre as respostas ventilatórias à hipóxia de 7% e à hipercarbia de 7% em ratos Wistar, BP.IC
09/10726-3 - Influência da melatonina sobre a ritmicidade respiratória em Ratos Wistar, BP.TT - menos bolsas vinculadas
Assunto(s):Melatonina  Vertebrados  Respiração animal 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Investindo...pesquisadores_140_130_130.pdf

Resumo

O controle da ventilação em vertebrados é realizado com a participação de quimiorreceptores periféricos e centrais, sendo que estes últimos exercem um papel predominante. Os quimiorreceptores centrais respondem a alterações de C02/pH no Iíquor e estão localizados na superfície ventral do bulbo bem como em várias outras regiões do tronco encefálico: núcleo retrotrapezoide, rafe rostral bulbar, locus coeruleus e complexo pré-botzinger cujos neurônios também participam da ritmogênese respiratória. A ventilação e a quimiossensibilidade, assim como diversos parâmetros fisiológicos apresentam um ritmo circadiano que está estreitamente relacionado ao ciclo claro-escuro. Em vertebrados ectotérmicos, alterações em padrões fisiológicos e comportamentais são mais evidentes frente as diferentes estações do ano. A melatonina, hormônio produzido pela glândula pineal, devido ao seu padrão de secreção noturno, funciona como um sinalizador do dia e da noite, contribuindo de forma importante, através da sua relação com o núcleo supraquiasmático (oscilador circadiano) para a sincronização e a expressão de uma diversidade de ritmos biológicos. Estudos têm revelado a presença de receptores de melatonina nos corpos caróticos de ratos e sua participação na quimiossensibilidade periférica à hipercapnia e à hipóxia. Em vertebrados ectotérmicos, no entanto, nenhum estudo foi realizado relacionando este hormônio e as respostas ventilatórias durante a dormência e o período ativo. Dessa forma, o presente estudo tem o objetivo geral de pesquisar a participação de melatonina no controle central das respostas ventilatórias à hipóxia e à hipercapnia em ratos wistar e lagartos teiús (Tupinambis merianae), assim como sua influência sobre a ritmicidade respiratória em ratos. (AU)