Busca avançada
Ano de início
Entree

Influência do desflorestamento sobre as emissões de mercúrio pelo solo na região de Alta Floresta (MT)

Processo: 11/05736-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 08 de agosto de 2011 - 07 de fevereiro de 2012
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química
Pesquisador responsável:Anne Helene Fostier
Beneficiário:Anne Helene Fostier
Pesquisador visitante: Anthony Carpi
Inst. do pesquisador visitante: City University of New York, New York (CUNY), Estados Unidos
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Mercúrio (elemento químico)  Solos  Avaliação de risco  Desmatamento  Amazônia 

Resumo

Nos ecossistemas florestais, solos e coberturas vegetais atuam como sistemas imobilizadores de mercúrio (Hg) e limitam assim seu impacto sobre a cadeia alimentar. Na região amazônica, o processo de desflorestamento por queima da biomassa pode levar à remobilização deste elemento em escala local e regional, aumentando assim as concentrações de mercúrio às quais as populações ribeirinhas são expostas. A remobilização do Hg e à sua transferência para a atmosfera e o sistema aquático podem ser decorrentes de vários processos: 1) volatilização de grandes quantidades do Hg estocado na biomassa, o qual é quase que totalmente emitido para a atmosfera durante a queima; 2) emissão atmosférica por dessorção térmica do Hg presente no solo; 3) emissão atmosférica do Hg presente no solo exposto após desflorestamento; 4) transferência direta do mercúrio do solo para o sistema aquático por lixiviação. Nesse contexto, a Profa. Anne H. Fostier está coordenando o projeto "Impacto do desflorestamento sobre as emissões de mercúrio em floresta tropical da região Amazônica" (Proposta submetida à FAPESP 2010/19040-4, vigência 01/03/2011 a 28/02/2013), o qual busca avaliar o impacto do desmatamento de floresta na região Amazônica sobre as emissões de mercúrio originárias tanto da queima de biomassa, quanto das emissões na interface solo-atmosfera durante a queimada e após desmatamento. Para o desenvolvimento deste projeto, experimentos de campo (queimadas programadas em áreas de 4 ha) estão previstos nas regiões de Alta Floresta, MT (2011) e do Alto Juruá (AC) (2012) em colaboração com o projeto temático FAPESP 2008/04490-4 "Combustão de biomassa da floresta amazônica", coordenado pelo Prof. João Andrade Carvalho Jr. (Unesp/INPE). Alem da Profa. Anne H. Fostier, o projeto prevê a participação do Pesquisador Visitante Prof. Anthony Carpi, especialista na quantificação de fluxos de mercúrio na interface solo-atmosfera e na avaliação de riscos, bem como da Profa. Claudia Carvalhinho Windmöller da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), especialista em estudos de especiação de Hg em solos por termodessorção.Neste projeto, a colaboração do Prof. Carpi será particularmente importante no estudo das emissões de mercúrio pelos solos em resposta ao desflorestamento e na avaliação de riscos relativa ao mercúrio emitido em conseqüência do deflorestamento. Ele participará dos trabalhos de campo previstos em setembro de 2011, numa fazenda onde a Profa. Fostier já realizou estudos sobre o impacto das queimadas de floresta sobre as emissões de Hg em 2004 e 2005. O Prof. Carpi será o responsável para a quantificação dos fluxos de Hg na interface solo-atmosfera, sendo que neste fim serão utilizado os equipamentos (Analisador de mercúrio em continuo TekranÒ e câmaras de fluxo de Teflon) que ele trará dos Estados Unidos. As medidas serão realizadas em áreas de floresta primária e em áreas previamente desmatadas e que se encontram atualmente em fase de regeneração natural ou convertidas em pastos. Paralelamente à quantificação dos fluxos de Hg, serão também medidos vários parâmetros susceptíveis de influenciar as emissões, tais como temperatura e umidade do ar, temperatura e umidade do solo, radiação UV. Após a realização dos trabalhos de campo, os pesquisadores trabalharão em colaboração para avaliar os impactos locais e regionais do Hg emitido pelos solos e pelas queimadas de biomassas. O fenômeno de transporte local, as vias de metilação do mercúrio, a acumulação na cadeia trófica, e os cenários de exposição serão avaliados para quantificar o risco adicional para as populações locais, decorrente destas emissões de Hg.O Prof. Dr. Anthony Carpi deverá permanecer no Brasil entre agosto de 2011 e janeiro de 2012. Alem das suas atividades de pesquisa ele ministrará um mini-curso para alunos de pós-graduação no IQ Unicamp e uma serie de palestras. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CARPI, ANTHONY; FOSTIER, ANNE H.; ORTA, OLIVIA R.; DOS SANTOS, JOSE CARLOS; GITTINGS, MICHAEL. Gaseous mercury emissions from soil following forest loss and land use changes: Field experiments in the United States and Brazil. Atmospheric Environment, v. 96, p. 423-429, OCT 2014. Citações Web of Science: 18.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.