Busca avançada
Ano de início
Entree

Participação da histidina nos processos de defesa perante o estresse oxidativo em Trypanosoma cruzi

Processo: 12/01103-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 09 de maio de 2012 - 08 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Ariel Mariano Silber
Beneficiário:Ariel Mariano Silber
Pesquisador visitante: Cristina Nowicki
Inst. do pesquisador visitante: Universidad de Buenos Aires (UBA), Argentina
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Doença de Chagas  Estresse oxidativo  Histidina  Trypanosoma cruzi 

Resumo

O Trypanosoma cruzi, agente etiológico da doença de Chagas, é capaz de utilizar carboidratos e aminoácidos como fontes de carbono e energia. Vários aminoácidos mostraram também estar envolvidos em outros processos fundamentais para a progressão do ciclo de vida do parasito. O aminoácido histidina participa em diversos organismos de uma grande quantidade de funções biológicas (como antioxidante fornecedor de intermediários metabólicos através da conversão a glutamato, regulador da disponibilidade de metais como Cu2+ ou Ni2+ através da sua coordenação, entre outros). Porém, seu estudo foi pouco abordado em tripanosomatídeos. O presente projeto parte de uma colaboração já em andamento entre os laboratórios do Dr. Silber e da Dra.Nowicki (Universidade de Buenos Aires - Argentina). Através desta proposta se combinarão experiências e conhecimentos para explorar os possíveis mecanismos mediante os quais a histidina pode agir como protetor perante o estresse oxidativo. Nesse intuito, os parasitas serão desafiados com estressores oxidativos na presença e ausência de histidina, e serão analisadas em forma comparativa as atividades enzimáticas chave para manter o equilíbrio redox, particularmente as relacionadas com a produção de NADPH e com o metabolismo dos aminoácidos enxofrados. Também irão se avaliar os níveis de expressão daquelas enzimas cujas atividades sejam afetadas nas distintas condições experimentais a serem ensaiadas. Finalmente serão investigadas em extratos de parasitas submetidos a estresse ou não, as possíveis variações nos níveis de tióis de baixa massa molecular e biologicamente relevantes. (AU)