Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos fatores biológicos, sociais e ambientais para a transmissão da dengue para delinear mecanismos de controle e prevenção: epidemiologia quantitativa

Processo: 98/14184-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa em Políticas Públicas
Vigência: 01 de novembro de 1999 - 31 de maio de 2003
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Hyun Mo Yang
Beneficiário:Hyun Mo Yang
Instituição-sede: Instituto de Matemática, Estatística e Computação Científica (IMECC). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Instituição parceira: Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). Superintendência de Controle de Endemias (SUCEN)
Assunto(s):Matemática aplicada  Epidemiologia analítica  Prevenção de doenças  Modelos matemáticos  Equações diferenciais ordinárias  Análise estocástica  Dengue  Aedes 
Publicação FAPESP:http://media.fapesp.br/bv/uploads/pdfs/Pesquisa...publicas_171_137_138.pdf

Resumo

A dengue é causada por vírus transmitido pelo vetor Aedes aegypti, o qual, encontrando condições favoráveis, tornou-se um problema de saúde pública a nível nacional. Como existem muitos fatores influenciando a transmissão da dengue, é importante estudar a capacidade vetorial de Aedes aegypti em função das variações socioambientais. Utilizaremos métodos quantitativos para avaliar os possíveis efeitos acima e para estimar o impacto de diferentes metodologias de controle e de prevenção. Para tanto, será utilizada modelagem matemática através de sistemas dinâmicos determinísticos (equações diferenciais ordinárias e parciais) e estocásticos (equações diferenciais estocásticas e variacionais fuzzy). A importância dessas abordagens reside na sua complementaridade, isto é, estuda o comportamento da epidemia em alta prevalência, ao mesmo tempo em que se focaliza a baixa endemicidade através da transmissão nas vizinhanças. Uma vez que os modelos matemáticos de transmissão da dengue tenham sido adequadamente elaborados, far-se-á o ajuste dos parâmetros baseados nos dados já obtidos e a simulação dos mesmos. Outros dados poderão ser coletados quando necessários. A última etapa será o estudo dos diferentes mecanismos de controle que possa discriminar as formas mais eficazes e eficientes, sejam elas isoladas ou em conjunto (teorias de controle ótimo). Os pesquisadores participantes têm larga experiência nas abordagens matemáticas análogas, e a reunião desses pesquisadores em empreender um projeto social dessa envergadura, em cooperação com o agente de atuação reconhecidamente pública, somente poderá trazer muitos dividendos à sociedade em geral. (AU)