Busca avançada
Ano de início
Entree

Biossíntese de nanopartículas de prata por seleção de espécies de Phoma e suas atividades contra micróbios multirresistentes

Processo: 12/03731-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 15 de janeiro de 2013 - 14 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Pesquisador responsável:Nelson Eduardo Duran Caballero
Beneficiário:Nelson Eduardo Duran Caballero
Pesquisador visitante: Mahendra K. Rai
Inst. do pesquisador visitante: Sant Gadge Baba Amravati University, Índia
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Assunto(s):Nanopartículas  Fungos  Antibióticos  Prata 

Resumo

Até hoje foram desenvolvidos numerosos métodos de síntese para a síntese e manipulação de vários nanopartículas de metal. Incluído os métodos físicos, substância química e biológica. As desvantagens associadas aos métodos físicos e químicos como uso de precursores perigosos, altas temperaturas formação de produtos tóxicos promoveram os investigações para outras possíveis alternativas para a síntese de nanopartículas de metal. Para superar estas barreiras, investigadores usaram a natureza para inspiração e começaram a utilizar os sistemas biológicos para estas sínteses. Sistemas biológicos diferentes como plantas, bactérias, actinomicetos, algas e fungos mostraram habilidade para reduzir íones de metal para formar nanopartículas metálico de tamanhos diferentes, formas e propriedades. Entre estes, foram estudados os fungos extensivamente já estes apresentam maior robustez são eucariotos e pela facilidade de controlar seus cultivos e a grande disponibilidade deles. Fungos que são eucarióticos são altamente desenvolvidos e possuem maquinarias biológicas sofisticadas que poderiam ser exploradas para a síntese de nanopartículas. Podem produzir nanopartículas de prata de tamanho bem definido e morfologia distinta dentro do espaço periplasmico. Alguns investigadores mostraram que nanocristais de ouro, prata e as ligas deles podem ser sintetizadas por reação dos íones de metal correspondentes dentro das células de bactérias. Mais recentemente pesquisas detalhadas no uso de microrganismos em síntese de nanopartículas de composições químicas diferentes incluem bactérias para ouro, prata, CdS, ZnS, magnetita, sulfide férreo; leveduras para PbS e CdS; algas para ouro e fungos para prata. Fungos em geral e leveduras jogam um papel importante em remediação de metais tóxicos por redução dos íones de metal, isto foi considerado como nanoindústrias. A biossíntese de nanomaterials inorgânico pode ser processada usando as propriedades dissimilatórias dos fungos. O multirresistência emergindo em microrganismos é uma questão de grande preocupação nos patogenos humano é relatado como a principal de morte mundial. Os patógenos resistentes mais importantes como a miticilina (oxacilina) de Staphylococcus auresus, Beta- lactum e Pneumococci; para vancomycin Enterococci resistente e Candida. O uso difundido das substâncias químicas resultou em resistência bacteriana a antibióticos, logo se espera que no caso de nanopartículas de prata sejam a esperança pelo tratamento de bactérias resistentes a multidrogas. Síntese microbiana de nanopartículas de prata bioativas mostra um alto potencial de atividade antimicrobiana contra certos patógenos humanos. Devido a sua potencial atividade antibacteriana, nanopartículas de prata por ser usados em vários outras aplicações pelos nossos grupos contra bactérias resistentes a antibióticos comuns para multirresistentes como S. aureus em tecidos contra queimaduras, brinquedos e outros que poderiam ser infectados sem o uso de desinfetante químico. No estudo proposto, serão selecionadas espécies de Phoma para procurar espécies potenciais para a síntese de nanopartículas já que eles são fáceis de isolar e crescer. Eles podem ser mantidos em médio simples como agar-dextrose-batata e o mais importante é que eles têm características bioquímicas estáveis. Neste período serão considerados cursos e seminários tanto no nível de graduação como pós-graduação na UNICAMP e na UFABC. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio:
Microprodutor de prata 

Publicações científicas (5)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
YADAV, ALKA; KON, KATERYNA; KRATOSOVA, GABRIELA; DURAN, NELSON; INGLE, AVINASH P.; RAI, MAHENDRA. Fungi as an efficient mycosystem for the synthesis of metal nanoparticles: progress and key aspects of research. Biotechnology Letters, v. 37, n. 11, p. 2099-2120, NOV 2015. Citações Web of Science: 33.
RAI, MAHENDRA; INGLE, AVINASH P.; GADE, ANIKET K.; TEIXEIRA DUARTE, MARTA CRISTINA; DURAN, NELSON. Three Phoma spp. synthesised novel silver nanoparticles that possess excellent antimicrobial efficacy. IET Nanobiotechnology, v. 9, n. 5, p. 280-287, OCT 2015. Citações Web of Science: 12.
RAI, MAHENDRA; INGLE, AVINASH P.; GADE, ANIKET; DURAN, NELSON. Synthesis of silver nanoparticles by Phoma gardeniae and in vitro evaluation of their efficacy against human disease-causing bacteria and fungi. IET Nanobiotechnology, v. 9, n. 2, p. 71-75, APR 2015. Citações Web of Science: 15.
RAI, MAHENDRA; GAIKWAD, SWAPNIL; NAGAONKAR, DIPALI; DOS SANTOS, CAROLINA ALVES. Current Advances in the Antimicrobial Potential of Species of Genus Ganoderma (Higher Basidiomycetes) against Human Pathogenic Microorganisms. International Journal of Medicinal Mushrooms, v. 17, n. 10, p. 921-932, 2015. Citações Web of Science: 12.
DOS SANTOS, CAROLINA ALVES; SECKLER, MARCELO MARTINS; INGLE, AVINASH P.; GUPTA, INDARCHAND; GALDIERO, STEFANIA; GALDIERO, MASSIMILIANO; GADE, ANIKET; RAI, MAHENDRA. Silver Nanoparticles: Therapeutical Uses, Toxicity, and Safety Issues. Journal of Pharmaceutical Sciences, v. 103, n. 7, p. 1931-1944, JUL 2014. Citações Web of Science: 129.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.