Busca avançada
Ano de início
Entree

A experiência do horror: arte, pensamento e política

Processo: 12/10629-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de agosto de 2012 - 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Rafael de Paula Aguiar Araújo
Beneficiário:Rafael de Paula Aguiar Araújo
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Sociais. Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sociologia da arte  Artes  Pensamento  Capitalismo  Livros  Publicações de divulgação científica 

Resumo

Este trabalho apresenta um mapeamento de diferentes formas de experiência do horror, a partir da relação existente entre arte e pensamento, procurando entender algumas das forças políticas que atuam sobre os homens em distintos contextos. Partimos do princípio de que a experiência do horror acompanha o homem desde as primeiras formas sociais e, através dessa experiência, é possível lançar um olhar sobre a condição humana e sobre as situações geradas pela difícil sociabilidade. A experiência do horror frente à realidade do mundo parte do próprio indivíduo, atestando as consequências da racionalidade cartesiana, e se amplia em direção ao coletivo, revelando problemas políticos e sociais, especialmente a partir da modernidade, quando o mundo do trabalho impõe-se ao homem de forma absoluta e a vida torna-se algo descartável. As obras de arte selecionadas para o estudo expressam diferentes formas de horror; foram produzidas em contextos distintos e carregam em si mesmas informações importantes sobre a realidade mundana. A análise das obras permitiu que novas perspectivas surgissem e estabelecessem um diálogo com as ideias de alguns pensadores. Diante do absurdo do mundo, em que as tarefas mostram-se trágicas por sua irrealização, um pensamento afirmativo aponta para um modo de existir criativo, que diagnostica, valoriza e potencializa a vida. (AU)