Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de metodologia para a extração semi-automática de feições cartográficas usando morfologia matemática em imagens digitais das superfícies terrestre e marciana: parte II

Processo: 12/05414-5
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de agosto de 2012 - 31 de julho de 2014
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências
Pesquisador responsável:Erivaldo Antonio da Silva
Beneficiário:Erivaldo Antonio da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Mapeamento geográfico  Morfologia matemática  Sensoriamento remoto  Processamento digital de imagens  Marte 

Resumo

Os mapas estão constantemente desatualizados em função das mudanças naturais que ocorrem no meio ambiente ao longo dos anos ou provocada diretamente pela ação do homem. As imagens de Sensoriamento Remoto têm sido muito utilizadas para apoiar a área de Cartografia. Estas imagens são empregadas a partir de técnicas de Processamento Digital de Imagens (PDI) que envolvem a manipulação e interpretação de imagens digitais. Dentre as diversas ferramentas de PDI, tem-se a Morfologia Matemática para a extração das feições cartográficas, elaborada inicialmente por MATHERON (1975) e SERRA (1982). O objetivo da Morfologia Matemática é descrever quantitativamente as estruturas geométricas e funcionar como uma técnica na concepção de algoritmos na área de PDI, dispondo de ferramentas básicas como os detectores de borda e filtros morfológicos. Atualmente, a Morfologia Matemática é uma teoria muito utilizada e pesquisada em Universidades e Centros de Pesquisa de todo o mundo, sendo assim uma excelente base para estudar a geometria do sinal, pois permite quantificar forma e tamanho. Desse modo, este projeto tem por objetivo dar continuidade a proposição de metodologias integradas para extração e/ou detecção e tratamento de feições cartográficas utilizando principalmente técnicas de Morfologia Matemática. O resultado da extração e/ou detecção será submetido a controle de qualidade para a verificação da acurácia e precisão obtida com a aplicação do método proposto e para comprovar a potencialidade do uso na área de cartografia. Serão utilizadas imagens digitais das superfícies terrestre e marciana. A continuidade das pesquisas por meio de novo projeto viabilizará a validação da metodologia proposta em projeto anterior e propiciará a publicação de artigos em periódicos científicos arbitrados, principalmente internacionalmente, uma vez que, os resultados obtidos até o momento indicam o potencial do uso da metodologia proposta na área de cartografia e áreas afins. Tais resultados estão sendo amplamente divulgados e publicados. (AU)