Busca avançada
Ano de início
Entree

Nanopartículas metálicas incorporadas em argilas esmectíticas brasileiras

Processo: 12/11633-1
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 15 de agosto de 2012 - 30 de agosto de 2012
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Francisco Rolando Valenzuela Diaz
Beneficiário:Francisco Rolando Valenzuela Diaz
Pesquisador visitante: Remita Bosi Hynd
Inst. do pesquisador visitante: Laboratoire de Chimie Physique (LCP), França
Instituição-sede: Escola Politécnica (EP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Argilas  Nanocompósitos  Bentonita 

Resumo

As argilas são matérias-primas naturais e abundantes que podem ser utilizadas em diversos campos tais como cerâmica, adsorção de poluentes e catálise. Em particular, as argilas esmectíticas estão atraindo a atenção crescente da comunidade científica, dado que podem ser usadas como hospedeiras na preparação de nanocompósitos contendo argilas. Essas argilas possuem alta capacidade de inchamento e de sorção. Graças a essas propriedades elas podem ser impregnadas com nanopartículas metálicas nos espaços interlamelares dos argilominerais. Nanopartículas de pequenas dimensões ou de variadas morfologias podem ser intercaladas. Assim, a exploração das propriedades dos argilominerais para desenvolver materiais compósitos argila/metal pode resultar em um novo conceito de materiais nanoestruturados com aplicações em catálise, eletrocatálise, embalagens, sensores, óptica, entre outras. Esses nanocompósitos podem apresentar novas propriedades físico-químicas e vir a ter aplicações industriais.O objetivo do presente projeto é sintetizar nanopartículas metálicas (Au, Ag, Pt, Pd) com dimensões e morfologia controladas em argila esmectítica brasileira (bentonita Chocolate da Paraíba, purificada segundo processo desenvolvido no Projeto FAPESP "Purificação, reologia, caracterização mineralógica e modificação de argilas brasileiras para uso em cosméticos, fármacos e outros produtos de alto valor agregado")) por radiolisis. O processo de nucleação/crescimento das nanopartículas nos espaços interlamelares dos argilominerais será estudado, assim como as propriedades físico-químicas dos nanocompósitos obtidos. Estes novos materiais poderão vir a ter aplicação futura em catalise, eletrocatalise (células a combustível), embalagens e nos campos de sensores e óptica, entre outros. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.