Busca avançada
Ano de início
Entree

Organização e adequação da infra-estrutura da rede de pesquisa do Instituto de Economia da UNICAMP

Processo: 98/09397-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Programa Infra-estrutura - Gerais
Vigência: 01 de novembro de 1998 - 31 de outubro de 1999
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia
Pesquisador responsável:Jorge Ruben Biton Tápia
Beneficiário:Jorge Ruben Biton Tápia
Instituição-sede: Instituto de Economia (IE). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Projetos de infraestrutura  Infraestrutura de pesquisa  Recursos para a pesquisa  Infraestrutura 

Resumo

O Instituto de Economia conta hoje com 4 redes interligadas, sendo elas: Administrativa, Ensino, Pesquisa e Biblioteca, com cerca de 200 estações e 6 servidores, sendo 4 servidores para serviços de rede executando tarefas de controle de segurança, servidor de impressão, gateway para sua subrede, servidor de disco, servidor de CD-ROM e 2 servidores para serviços TCP/IP, tais como, DNS, Proxy, WWW, FTP, E-Mail, sendo todos eles ligados ao servidor Gateway que faz o serviço de roteamento entre as redes descritas e a rede da UNICAMP. Nem todos esses equipamentos estão fisicamente em uma mesma sala, dificultando a administração dos recursos da rede. Nossa proposta é equipar um ambiente adequado para abrigar todos os servidores da rede, facilitando com isso a administração, busca e identificação de melhoria de performance e segurança. Gostaríamos também de estarmos efetuando a migração de todas as bases de dados existentes no Instituto de Economia em carretel e/ou cartucho para um magnético compatível com o novo ambiente de desenvolvimento de pesquisas, já que a modernização destes meios de armazenamento se faz necessário para garantir a preservação e a possibilidade de acesso, visto que leitores de fita magnética e cartucho são equipamentos de difícil manuseio quase considerados obsoletos e em processo de desativação, principalmente para a microinformática. Não podemos deixar de considerar que o advento da microinformática garante, não só pelo seu custo financeiro como também pela facilidade de utilização, o acesso a cada vez mais usuários. Avaliando as necessidades, optamos por migrar para o meio óptico CD-ROM, tendo em vista ser esta uma opção que no momento se apresenta mais adequada, principalmente devido a facilidade de leitura pela maioria dos microcomputadores, que hoje já vem munidos deste tipo de leitor. A Proposta dessa recuperação permitirá também gravarmos em formato que facilite sua manipulação até mesmo por usuários que detenham conhecimentos básicos, o que hoje é muito comum, sem a necessidade do apoio de um profissional de informática. Estamos considerando que microcomputador e software populares (ex: Planilha eletrônica) são requisitos que a maioria dos pesquisadores podem ter. Isso significa que o formato, o tamanho dos arquivos e a documentação deverão ser disponibilizados para utilização em uma planilha eletrônica, editor de texto, banco de dados, ou ainda em um software estatístico que possua maiores recursos. As fitas magnéticas a serem convertidas para o novo meio magnético e novo formato são do Censo Demográfico anos 70,80,91; PNAD anos 81,83,84,85,86,87,88,89,90; PME anos 80,81,82,83,84,85,86,87,88,89,90,91 e 92. Faremos conversão de formato nas PME anos 93, 94 e 95; PNAD 92, 93, 95 e 96, RAIS - Bases Estatísticas 86 a 95, e CAGED - Bases Estatísticas Jan/91 a Jul/97. (AU)