Busca avançada
Ano de início
Entree

Rede safe-blood: rede segura de movimentação de bolsas de sangue com rastreabilidade baseada em etiquetas inteligentes de RFID EPC

Processo: 08/53489-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de junho de 2009 - 31 de maio de 2011
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Saúde Coletiva - Saúde Pública
Pesquisador responsável:Fredy Joao Valente
Beneficiário:Fredy Joao Valente
Empresa:Coss Soluções e Tecnologia Ltda
Município: São Carlos
Auxílios(s) vinculado(s):11/52020-0 - Hemonet - sistema de controle de estoque de sangue e hemocomponentes para modernização, padronização e operação, integrada da cadeia de sangue baseada na solução WelCOSS-RFID, projeto rede SAFEBLOOD, com, AP.PIPE3
11/51081-5 - Hemonet - sistema de controle de estoque de sangue e hemocomponentes para modernização, padronização e operação integrada da cadeia de sangue baseada na solução WelCOSS-RFID, projeto rede SAFEBLOOD, com, AP.PIPE3
Bolsa(s) vinculada(s):10/13052-0 - Projeto: rede safe-blood: rede segura de distribuição de bolsas de sangue com rastreabilidade baseada em etiquetas inteligentes de RFID EPC, BP.TT
10/10124-0 - Rede safe-blood: rede segura de movimentação de bolsas de sangue com rastreabilidade baseada em etiquetas inteligentes de RFID EPC, BP.TT
09/14210-1 - Rede safe-blood: rede segura de movimentação de bolsas de sangue com rastreabilidade baseada em etiquetas inteligentes de RFID EPC, BP.TT
09/10280-5 - Rede safe-blood: rede segura de movimentação de bolsas de sangue com rastreabilidade baseada em etiquetas inteligentes de RFID EPC, BP.TT
09/10279-7 - Rede safe-blood: rede segura de movimentação de bolsas de sangue com rastreabilidade baseada em etiquetas inteligentes de RFID EPC, BP.TT
Assunto(s):Informática médica  Bancos de sangue 

Resumo

A hemoterapia, tanto no Brasil quanto no mundo, tem se caracterizado pelo desenvolvimento e adoção de novas tecnologias objetivando minimizar os riscos transfusionais, especialmente quanto à prevenção da disseminação de agentes infectocontagiosos. Essas tecnologias aplicadas à logística do processo de coleta de sangue, passando pela triagem, transfusão e sua posterior utilização do sangue por um paciente, objetivam minimizar os riscos de contaminação. Atualmente, o processo de identificação de sangue no Brasil, criado pela Fundação Pró Sangue (HC São Paulo), utiliza a tecnologia de códigos de barras para identificação de cada bolsa de sangue. Entretanto, o grande volume de bolsas de sangue processadas no Brasil demanda leitura de cada bolsa através do escaneamento individual, que não permite processamento rápido, ao mesmo tempo em que aumenta a possibilidade de erros na leitura em decorrência do processo necessitar de intervenção humana. Além disto, não existe uma rede de rastreabilidade que permita a manutenção do histórico de cada bolsa de sangue depois que ela é enviada para utilização em um paciente, o que pode gerar ocorrências de problemas. Neste projeto, iremos desenvolver uma rede de rastreabilidade de sangue (REDE SAFEBLOOD), que proporcionará a garantia de segurança do produto e rastreabilidade de sangue na cadeia coleta, processamento e distribuição de sangue e hemoderivados. A REDE SAFEBLOOD será desenvolvida baseada na plataforma WeICOSS-RFID (desenvolvida no projeto PIPE 2006/52010-6) e será inicialmente testada como projeto piloto na Fundação Pró Sangue no Hospital das Clínicas de São Paulo. A aprovação da REDE SAFEBLOOD por parte da Fundação Pró Sangue será uma tarefa do escopo deste projeto, para permitir que a mesma seja estendida para toda a cadeia do sangue no Brasil, em fase posterior a este projeto. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Revista Pesquisa FAPESP sobre o auxílio::
Identificação a distância