Busca avançada
Ano de início
Entree

Pelas ondas do rádio: cultura popular, camponeses e o movimento de educação de base

Processo: 12/12857-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Livros no Brasil
Vigência: 01 de setembro de 2012 - 31 de agosto de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - História - História do Brasil
Pesquisador responsável:Claudia Moraes de Souza
Beneficiário:Claudia Moraes de Souza
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia e Ciências (FFC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Marília. Marília , SP, Brasil
Assunto(s):História social  Camponeses  Movimentos sociais  Cultura popular  Escola rural 

Resumo

Em Pelas Ondas do Rádio: Cultura Popular, Camponeses e o MEB analisamos a participação de camponeses do nordeste brasileiro no Movimento de Educação de Base. A perspectiva do livro é a de demonstrar como os trabalhadores envolvidos com as escolas radiofônicas elaboraram ações para manutenção e reprodução da escola em sua comunidade, visando obter os benefícios necessários à reprodução e melhoria de seu modo de vida. A partir de representações políticas e culturais singulares, dentre as quais vigoraram: um sentido para escola, um papel para o sindicato e para participação política, preceitos do direito de uso da terra e dos direitos do trabalho, assim como, sentidos múltiplos para o uso do rádio como meio de comunicação, informação e lazer, os camponeses do MEB, foram coadjuvantes da proposição católica modernizadora de inícios de 1960. Isto posto, queremos demarcar que a ação do camponês nordestino e seu engajamento político, seja no MEB, nos sindicatos rurais, nas Juventudes Agrárias Católicas (JAC´s), no MCP, e nas mais diversas instâncias dos movimentos sociais do período, não se apartaram do processo modernizador. Neste sentido, consideramos que a modernização brasileira foi pauta das instituições, organismos políticos e partidos, assim como, do movimento social, instância em que ela foi ressignificada a partir de elementos da vida material, que envolviam diretamente, no momento em questão, a problemática do direito a terra, do direito a educação e cultura e dos direitos do trabalho. (AU)