Busca avançada
Ano de início
Entree

1. Nova morfologia do trabalho: infoproletariado, materialidade, imaterialidade e valor; 2. Desenvolvimento e trabalho decente

Processo: 12/11670-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisador Visitante - Internacional
Vigência: 17 de janeiro de 2013 - 16 de janeiro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Sociologia - Outras Sociologias Específicas
Pesquisador responsável:Ricardo Luiz Coltro Antunes
Beneficiário:Ricardo Luiz Coltro Antunes
Pesquisador visitante: Elisio Guerreiro do Estanque
Inst. do pesquisador visitante: Universidade de Coimbra (UC), Portugal
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Sociologia do trabalho  Economia do trabalho  Flexibilização  Movimentos sociais 

Resumo

As atividades de pesquisa que o Prof. Elísio Estanque realizará ao longo do ano de 2013, junto ao IFCH e CESIT, ambos da UNICAMP, dando continuidade a diversas colaborações anteriores com o Brasil, estão diretamente inseridas nos seguintes projetos: 1) A Nova Morfologia do Trabalho: infoproletariado, materialidade, imaterialidade e valor. Coordenado por Ricardo Antunes - IFCH; 2) Desenvolvimento e Trabalho Decente, coordenado por José Dari Krein - CESIT. A inserção do Prof. Elísio está diretamente relacionada com as suas atividades desenvolvidas há mais de 20 anos, no Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra. Cabe destacar a colaboração regular do referido docente com projetos e atividades acadêmicas desenvolvidas na UNICAMP e USP, em especial em torno do tema do trabalho, do sindicalismo e dos movimentos sociais. Trata-se de uma experiência que se constitui como um fator facilitador da plena integração nas atividades e projetos a decorrer nos citados centros de pesquisa. O objetivo de aproximar as pesquisas em curso na Europa acerca da reflexão que se vem realizando no Brasil, em torno das seguintes questões: o emprego, a precariedade, o recuo na segurança e nos direitos do trabalho, resultantes das políticas neoliberais e da globalização, que tendem a fazer regredir os direitos sociais para uma situação de flexibilidade e precarização generalizada (inclusive de setores da classe média). Esse intercâmbio ganha relevância pelo contexto de crise vivenciado pela Europa nos dias atuais, conferindo destaque à análise comparativa entre Portugal e Brasil. Os resultados consolidarão as afinidades já estabelecidas em colaborações anteriores, entre pesquisadores do IFCH e CESIT com o CES. O programa de pesquisa irá privilegiar, portanto, a discussão sobre trabalho, precariedade e movimentos sociais, integrado diretamente aos projetos coordenados por Ricardo Antunes e José Dari Krein. Num contexto de transformações profundas nas formas de produção, de troca e nos modos de regulação do regime capitalista, assiste-se a uma recomposição da estrutura de classes, a um processo acentuado de precarização do trabalho e à emergência de novas desigualdades. Estas características estão na origem de novas formas de envolvimento e de fenômenos de mobilização social e política que têm tido particular importância ao longo do último ano e cujo estudo e compreensão rigorosa se encontram ainda em fase embrionária. As complexas transformações que vêm ocorrendo na estrutura do sistema capitalista produzem rápidas e drásticas mudanças na esfera do trabalho e do emprego. O trabalho tem alterado seus significados (enquanto ocupação estável) e a fragmentação do trabalho tende a tornar precárias as relações laborais, impactando as potencialidades de resistência e a capacidade organizativa da classe trabalhadora. Além disso, no contexto da crise atual emergem novos movimentos sociais e sindicais, trazendo para o centro do debate a questão do trabalho, do emprego e da proteção social. Particularmente neste ponto a pesquisa do Prof. Elísio a experiência recente da emergência de novos movimentos sociais na Europa. (A proposta de pesquisa do projeto do Professor Elísio segue também em anexo). Como professor visitante, a disponibilidade do candidato será total, não só para integrar e interagir com as pesquisas assinaladas mas, também, para as restantes atividades acadêmicas, como participação em seminários nos respectivos projetos, ministrar disciplinas no âmbito dos programas de pós-graduação de Sociologia do IFCH e da área social do trabalho do Instituto de Economia, ambos da UNICAMP. Além disso, estão previstas possíveis participação em bancas e demais iniciativas sugeridas pelos respectivos centros e departamentos da Unicamp, bem com a interação com estudantes dos respectivos programas de pós-graduação. (AU)