Busca avançada
Ano de início
Entree

Correlação prognóstica do fenômeno da transição epitélio-mesenquimal no tumor localizado e em metástases ósseas e linfonodais de câncer de próstata

Processo: 12/12393-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de novembro de 2012 - 31 de outubro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Cirurgia
Pesquisador responsável:José Pontes Junior
Beneficiário:José Pontes Junior
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados: Caio Martins Moura ; Kátia Ramos Moreira Leite ; Nayara Izabel Viana ; Sabrina Thalita dos Reis Faria
Assunto(s):Prognóstico  Procedimentos cirúrgicos urológicos  Neoplasias da próstata  Adenocarcinoma  Marcador molecular  Transição epitelial-mesenquimal 

Resumo

O adenocarcinoma da próstata é o câncer mais comum em homens, sendo a segunda causa de morte por câncer em países ocidentais. A prostatectomia radical e a radioterapia são as opções para o tratamento curativo dos tumores localizados, entretanto até 25% dos pacientes apresentam recidiva após o tratamento local. Os parâmetros de prognóstico clínico ajudam na estimativa da agressividade e recorrência do câncer de próstata, porém são insuficientes. Dessa forma, a descoberta de novos marcadores é fundamental para a melhor definição prognóstica e identificação de pacientes com maiores chances de recidiva, que possam ser candidatos à terapia adjuvante. Neste contexto, grande atenção tem sido dada ao estudo de marcadores moleculares. As moléculas de adesão são importantes para a manutenção do fenótipo benigno e alterações de expressão parecem ter papel na oncogênese. A E-caderina promove adesão firme entre as células epiteliais, enquanto as caderinas P, N e OB promovem adesão mais fraca, resultando em arranjo frouxo e mesenquimal, que facilita a invasão tumoral. A troca de E-caderina pelos outros tipos de caderina é denominado de fenômeno de transição epitélio mesenquimal (TEM) e tem se mostrado associado à pior prognóstico em alguns tumores. O objetivo do estudo é avaliar a presença da TEM no tumor primário, através da análise de expressão da E, N, P e Ob-caderina por imunohistoquímica em "tissue micro array" previamente estabelecido em nosso laboratório contendo 111 tumores primários, e correlacionar a presença de TEM com os fatores clássicos de prognóstico e com a recidiva bioquímica após a cirurgia. Analisaremos também a presença da TEM na progressão do tumor ao avaliarmos a expressão destas moléculas em dois "tissue microarray" contendo 19 metástases linfonodais e 28 metástases ósseas. (AU)