Busca avançada
Ano de início
Entree

Resistência de pragas (Tetranychus urticae e Frankliniella occidentalis) e predadores (Acari: Phytoseiidae) a pesticidas e estratégias de manejo destas pragas

Resumo

Um dos fatores que dificultam a produção e a comercialização de diversas culturas agrícolas de importância econômica no Brasil é o ataque de pragas, como ácaros tetraniquídeos e tripes (Thysanoptera). O ácaro-rajado, Tetranychus urticae Koch, causa sérios prejuízos em diversas culturas, incluindo as de morango, mamão, pêssego, uva, feijão, algodão, rosa, crisântemo, entre outras, no país. O tripes Frankliniella occidentalis (Pergande) é praga importante de diversas culturas, principalmente ornamentais (ex.: crisântemo) e hortícolas. Altas infestações desse tripes podem provocar consideráveis perdas de produção, pelo dano direto e pela transmissão de vírus. Um dos problemas enfrentados pelos agricultores tem sido a dificuldade para o controle dessas pragas através do uso de agroquímicos. O desequilíbrio biológico causado pela eliminação de inimigos naturais e o desenvolvimento de resistência dessas pragas aos defensivos agrícolas estão entre as principais razões para esta dificuldade de controle. O rápido desenvolvimento de resistência de muitas espécies de insetos e ácaros a pesticidas tem sido um dos principais entraves para o controle de pragas. Os objetivos do projeto são: 1) estudar a resistência de T. urticae e F. occidentalis a pesticidas, em diversas culturas de importância econômica; 2) estudar a resistência de ácaros predadores, principalmente, Phytoseiulus macropilis a acaricidas e inseticidas; 3) avaliar estratégias de manejo de ácaro-rajado em morangueiro e ornamentais (roseira); com uso de ácaros predadores, fungos entomopatogênicos e acaricidas (sintéticos e naturais); avaliar estratégias de manejo de F. occidentalis em ornamentais (crisântemo), com uso de inseticidas e ácaros predadores (Laelapidae). Nas pesquisas sobre resistência de T. urticae e P. macropilis a acaricidas, serão incluídos estudos de mecanismos de resistência (caracterização bioquímica e molecular). (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas (6)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
SATO, MARIO E.; VERONEZ, BRUCE; STOCCO, RAFAEL S. M.; QUEIROZ, MARIA CRISTINA V.; GALLEGO, RAFAELA. Spiromesifen resistance in Tetranychus urticae (Acari: Tetranychidae): Selection, stability, and monitoring. CROP PROTECTION, v. 89, p. 278-283, NOV 2016. Citações Web of Science: 0.
MINAZZI STOCCO, RAFAEL SORRENTINO; SATO, MARIO EIDI; SANTOS, TAIANA LUMI. Stability and fitness costs associated with etoxazole resistance in Tetranychus urticae (Acari: Tetranychidae). Experimental and Applied Acarology, v. 69, n. 4, p. 413-425, AUG 2016. Citações Web of Science: 2.
VITELLI QUEIROZ, MARIA CRISTINA; SATO, MARIO EIDI. Pyrethroid resistance in Phytoseiulus macropilis (Acari: Phytoseiidae): cross-resistance, stability and effect of synergists. Experimental and Applied Acarology, v. 68, n. 1, p. 71-82, JAN 2016. Citações Web of Science: 2.
IWASSAKI, LARISSA AKEMI; SATO, MARIO EIDI; CALEGARIO, FAGONI FAYER; POLETTI, MARCELO; NUNES MAIA, ALINE DE HOLANDA. Comparison of conventional and integrated programs for control of Tetranychus urticae (Acari: Tetranychidae). Experimental and Applied Acarology, v. 65, n. 2, p. 205-217, FEB 2015. Citações Web of Science: 2.
NICASTRO, ROBERTO L.; SATO, MARIO E.; ARTHUR, VALTER; DA SILVA, MARCOS Z. Chlorfenapyr resistance in the spider mite Tetranychus urticae: stability, cross-resistance and monitoring of resistance. PHYTOPARASITICA, v. 41, n. 5, p. 503-513, DEC 2013. Citações Web of Science: 12.
DÉBORA SOLLER RAIS; MÁRIO EIDI SATO; MARCOS ZATTI DA SILVA. Detecção e monitoramento da resistência do tripes Frankliniella occidentalis ao inseticida espinosade. Bragantia, v. 72, n. 1, p. -, Mar. 2013.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.