Busca avançada
Ano de início
Entree

Remineralização ou infiltração de cárie: qual a melhor abordagem tendo em vista a resistência de união entre a resina composta e o esmalte utilizando sistema adesivo convencional e autocondicionante

Processo: 11/21917-4
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2012 - 30 de novembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Clínica Odontológica
Pesquisador responsável:César Rogério Pucci
Beneficiário:César Rogério Pucci
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Dentística restauradora  Adesivos dentinários  Resistência de união (odontologia)  Resinas compostas  Remineralização dentária  Esmalte dentário  Cárie dentária 

Resumo

Este trabalho tem como objetivo avaliar a resistência de união entre a resina composta e diferentes substratos de esmalte: (1) esmalte hígido, (2) esmalte (desmineralizado) com lesão de cárie artificial inicial, (3) esmalte (desmineralizado) remineralizado com saliva, (4) esmalte (desmineralizado) remineralizado com flúor e (5) esmalte (desmineralizado) infiltrado com Icon. Serão utilizados 60 dentes (n = 12) bovinos extraídos, limpos e armazenados em solução de timol até a utilização. O esmalte vestibular das coroas não será removido, apenas padronizado com lixa 600 em politriz circular. Após a padronização, os espécimes serão divididos em dois grupos A e B. Grupo A (n=24) será o grupo controle e não receberá nenhum tratamento, apenas os procedimentos adesivos e restauradores para posterior teste de microtação. O Grupo B (n=96), será submetido ao tratamento de desmineralização, onde os corpos de prova permaneceram imersos em solução desmineralizadora por 16 horas a fim de produzir lesões subsuperficiais de cárie artificial. Esse grupo será subdividido em 4 subgrupos de acordo com os diferentes tratamentos pós desmineralização. No grupo B1, os corpos de prova serão desmineralizados pela metodologia descrita a seguir e não serão submetidos a nenhum tratamento remineralizador. No grupo B2, os corpos de prova ficarão imersos durante 8 semanas em saliva artificial preparada pelo método de Gohring10, a solução de saliva será trocada todos os dias. No grupo B3, os corpos de prova serão imersos em solução de fluoreto 0,05% durante 1 minuto diariamente por 8 semanas. Após a imersão em flúor os CP serão lavados com água deionizada e imersos em saliva artificial. No grupo B4, os corpos de prova serão infiltrados com material resinoso (Icon - DMG). Nas superfícies de esmalte com os diferentes tratamentos, será aplicado sistema adesivo Easy One (3M-Espe, USA) e Adper Single Bond 2 (3M-Espe, USA) de acordo com a indicação do fabricante e inserida a resina composta Filtek Z 350 XT(3M-Espe, USA) em incrementos oblíquos de 2 mm, conforme recomendação do fabricante. Em razão de uma avaliação que simule as condições presentes no meio bucal os espécimes serão submetidos a ciclagem térmica por meio da máquina ER 26000 (Erios, Brasil). Será realizada a ciclagem térmica em 3 cubas para banho frio (2ºC e 5ºC), quente (50ºC e 55ºC) e intermediário(37°C ± 2°C), com o tempo de permanência dos espécimes em cada banho de 30 segundos. Os espécimes serão seccionados com o auxílio da Labcut 1010 (Extec, USA) em prismas de secção quadrangular com dimensões aproximadas de 1mm² de base por 10 mm de comprimento, os quais serão submetidos ao teste de microtração na máquina de ensaios universais DL-1000 (EMIC, Brasil). Os dados obtidos serão submetidos à ANOVA e ao Teste de Tukey (±= 1%). (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FARIAS DE LACERDA, ANA JULIA; ZANATTA, RAYSSA FERREIRA; CRISPIM, BRUNA; BORGES, ALESSANDRA BUHLER; GOIVIES TORRES, CARLOS ROCHA; TAY, FRANICLIN R.; PUCCI, CESAR ROGERIO. Influence of de/remineralization of enamel on the tensile bond strength of etch-and-rinse and self-etching adhesives. AMERICAN JOURNAL OF DENTISTRY, v. 29, n. 5, p. 289-293, OCT 2016. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.