Busca avançada
Ano de início
Entree

Preparação de hidróxido de magnésio usado como antichama em polímeros

Processo: 01/03259-8
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de setembro de 2001 - 31 de maio de 2002
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Pompeu Pereira de Abreu Filho
Beneficiário:Pompeu Pereira de Abreu Filho
Empresa:Itatex Indústria e Comércio de Cerâmica Ltda
Município: Campinas
Bolsa(s) vinculada(s):01/10136-0 - Preparação de hidróxido de magnésio usado como antichama em polímeros, BP.PIPE
Assunto(s):Hidróxido de magnésio  Óxido de magnésio 

Resumo

O projeto trata do desenvolvimento de um processo químico original de preparação de hidróxido de magnésio para ser usado como produto antichama em composições de polímeros. Os materiais de partida serão a magnesita natural ou a magnesita cáustica (MgO), disponíveis comercialmente. Quando o material de partida for a magnesita, o processo químico envolverá a sua decomposição térmica a partir de briquetes configurados com furos vazados em uma das suas extensões e preparados misturando-se magnesita e água, na presença e na ausência de um aglutinante orgânico (dextrina). Tais briquetes deverão ser resistentes mecanicamente para suportar as manipulações e tensões de contração durante os tratamentos térmicos. Os briquetes de magnesita serão transformados em briquetes de magnésia cáustica por decomposição térmica (entre 600-800oC) em um forno com renovação de ar forçada e, em seguida, moídos para a obtenção da magnésia cáustica na forma de pó. Quando o material de partida for a magnésia cáustica obtida comercialmente, o processo químico não terá as etapas de briquetagem e decomposição térmica e começará na etapa de hidratação. Nessa etapa, a magnésia cáustica na forma de pó reagirá com vapor de água no interior de um reator construído para essa finalidade. A reação da magnésia cáustica mais o vapor d'água produzindo hidróxido de magnésio será monitorada por termogravimetria e/ou difração de raios X, determinando-se as frações do hidróxido de magnésio formado e da magnésia cáustica remanescente durante o andamento da reação. Os materiais de partida e o hidróxido de magnésio serão todos caracterizados fisicoquimicamente por métodos instrumentais e por via úmida. Serão feitas determinações de composição química, área superficial específica, reatividade química, densidade e granulometria. Também serão feitas determinações das estruturas cristalinas e de graus de cristalinidade por difração de raios X. As variáveis de cada uma das etapas do processo terão, quando necessário, seus efeitos estudados por técnicas quimiométricas. Os resultados obtidos serão analisados para se verificar as viabilidades técnica e ecônomica do processo na produção de hidróxido de magnésio em escala industrial. (AU)