Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo funcional da via Unfolded Protein Response em linfócitos B humanos: hipogamaglobulinemia primária como modelo de disfunção da UPR

Processo: 11/51778-6
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de dezembro de 2012 - 30 de novembro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia
Pesquisador responsável:Maristela Martins de Camargo
Beneficiário:Maristela Martins de Camargo
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):13/21117-3 - Quantificação de transcritos dos genes envolvidos na via UPR, BP.TT
13/03630-5 - Quantificação de transcritos dos genes envolvidos na via UPR, BP.TT
Assunto(s):Agamaglobulinemia  Resposta a proteínas não dobradas  Linfócitos B  Fatores de transcrição  Chaperonas moleculares 

Resumo

Durante a diferenciação terminal de linfócitos B em plasmócitos, grandes quantidades de cadeias nascentes de imunoglobulinas são traduzidas e translocadas para o retículo endoplasmático (ER). Muitas delas não conseguem ser dobradas de maneira correta, e juntamente com sinais de diferenciação, ativam uma via de sinalização intracelular chamada de Unfolded Protein Response (UPR). A via UPR promove a expressão de chaperonas, a atenuação da tradução e a degradação de cadeias maldobradas no ER, com o objetivo de resolver o estresse do ER. Dentre seus três braços, o eixo IRE-1α/XBP1é o mais conservado evolutivamente. O XBP1 é o principal fator de transcrição responsável pela indução de genes alvos da via UPR. Nosso grupo identificou anteriormente um paciente (paciente P) com Imunodeficiência Comum Variável (CVID), doença cujo principal fenótipo é a hipogamagtobulinemia, que apresenta desregulação na ativação do eixo IRE1/XBP-1. Pretendemos neste projeto avaliar a via UPR de maneira mais global em células imortalizadas do paciente P, incluindo outros braços além do IRE1/XBP-1 e expandir nossas análises para células imortalizadas de outros pacientes com CVID. Além disso, pretendemos estudar a relação entre a via UPR e o defeito de proliferação observado no paciente P e em outros pacientes com CVID. Finalmente, pretendemos avaliar a uso de chaperonas químicas como possível agente terapêutico nas hipogamaglobulinemias relacionadas a defeitos da via UPR. (AU)

Publicações científicas (5)
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
STAN, R. C.; BONIN, C. PINTO; PORTO, R.; SORIANO, F. G.; DE CAMARGO, M. M. Increased grp78 transcription is correlated to reduced tlr4 transcription in patients surviving sepsis. CLINICAL AND EXPERIMENTAL IMMUNOLOGY, AUG 2019. Citações Web of Science: 0.
STAN, RAZVAN C.; FRANCOSO, KATIA S.; ALVES, RUBENS P. S.; FERREIRA, LUIS CARLOS S.; SOARES, IRENE S.; DE CAMARGO, MARISTELA M. Febrile temperatures increase in vitro antibody affinity for malarial and dengue antigens. PLoS Neglected Tropical Diseases, v. 13, n. 4 APR 2019. Citações Web of Science: 0.
STAN, RAZVAN C.; DE CAMARGO, MARISTELA M. Memory of Periodic Thermal Stimulation in an Immune Complex. CHEMISTRYSELECT, v. 4, n. 12, p. 3325-3328, MAR 29 2019. Citações Web of Science: 0.
STAN, RAZVAN C.; SILVA, RAISSA L.; DE CAMARGO, MARISTELA M. Human GRP78 affinity towards its signaling partners Ire1 alpha and PERK is differently modulated by an unfolded protein client. Biochemical and Biophysical Research Communications, v. 487, n. 2, p. 375-380, MAY 27 2017. Citações Web of Science: 2.
OLIVEIRA, CAMILA D.; LARSSON, CARLOS E.; DE CAMARGO, MARISTELA M. Longitudinal assessment of T-lymphocyte subpopulations during generalized demodicosis in dogs and their relationship with remission. VETERINARY DERMATOLOGY, v. 26, n. 1, p. 18+, FEB 2015. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.