Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da toxicidade do óleo de semente de Ricinus communis e Jatropha curcas (Euphorbiaceae) sobre Atta Sexdens rubropilosa (Hymenoptera: Formicidae)

Processo: 12/22953-7
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Publicações científicas - Artigo
Vigência: 01 de dezembro de 2012 - 31 de maio de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Botânica - Botânica Aplicada
Pesquisador responsável:Déborah Yara Alves Cursino dos Santos
Beneficiário:Déborah Yara Alves Cursino dos Santos
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Óleo de rícino  Euphorbiaceae  Interação planta-inseto 

Resumo

As formigas cortadeiras são importantes herbívoros nos trópicos do Novo Mundo. Embora atoxicidade de óleos de sementes contra essas formigas tenha sido pouco estudada, resultados anteriores revelaram que esses óleos podem exercer considerável atividade tóxica contra esses insetos. Este artigo analisou a ação tóxica e propriedades de dissuasão do óleo de mamona, Ricinus communis L., e do óleo de pinhão manso, Jatropha curcas L., contra operárias da formiga cortadeira Atta sexdens rubropilosa mantidas em laboratório. O efeito tóxico foi avaliado pela alimentação dos insetos com dietas artificiais acrescidas com diferentes concentrações do óleo, além do contato direto destes insetos com os dois óleos. A atividade dissuasora foi medida através da freqüência de visitas das formigas às dietas durante as primeiras 48h do ensaio biológico de ingestão. O óleo de rícino nas concentrações de 10 e 30 mg/mL e o óleo de pinhão manso a 5, 10, e 30 mg/mL foram tóxicos no ensaio por ingestão. No bioensaio de contato direto, a toxicidade foi observada para o óleo de pinhão manso a 0,1 e 0,2 mg/mL, enquanto que o óleo de rícino exerceu efeitos tóxicos somente quando a maior concentração foi aplicada. O efeito dissuasor foi mais pronunciado no ensaio com o óleo de rícino quando comparado ao óleo de pinhão manso. Estratégias para o uso destes óleos no controle destes insetos são discutidas no artigo. (AU)