Busca avançada
Ano de início
Entree

Estabelecimento e padronização do modelo ex vivo de pele humana para avaliação de segurança e eficácia de filtro de proteção solar (FPS)

Processo: 12/50113-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de abril de 2013 - 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Thiago Antônio Moretti de Andrade
Beneficiário:Thiago Antônio Moretti de Andrade
Empresa:Narcissus Pesquisa Clínica e Biotecnologia Ltda. - ME (Narcissus)
Município: Ribeirão Preto
Assunto(s):Cosmetologia  Cosméticos  Tecnologia de cosméticos  Protetores solares  Fotoproteção  Alternativas ao uso de animais  Alternativas aos testes com animais 

Resumo

A empresa Narcissus Pesquisa Clínica e Biotecnologia Ltda, localizada em Ribeirão Preto-SP, tem como missão tornar-se referência na realização e inovação de testes clínicos e pré-clínicos necessários para o desenvolvimento de produtos cosméticos. Tais testes servem para garantir a sua eficácia e segurança "in vivo" e "ex vivo" sendo fundamentais para registro e comercialização de cosméticos junto a ANVISA. Em vários países os testes em animais para cosméticos foram proibidos e aplicadas sérias limitações às indústrias ligadas a esta prática. Alguns países criaram centros de pesquisa e fomento para o desenvolvimento e validação de metodologias alternativas ao uso de animais. No Brasil o BRACVAM, recentemente criado, propõe desenvolver métodos alternativos de validação de pesquisa que não utilizam testes em animais. Sendo assim, esse projeto busca desenvolver e padronizar o sistema HOSEC (HUMAN ORGANOTYPIC SKIN CULTURE) para ensaios de segurança e eficácia com produtos tópicos (cosméticos) para fotoproteção. O sistema HOSEC, por apresentar melanócitos, células de Langerhans, queratinócitos e toda a estrutura da derme (glicosaminoglicanas e colágeno) é mais próximo da pele em condições de uso in vivo em humanos. Por apresentar uma interface ar-líquido, o sistema HOSEC permite a aplicação de cremes, pomadas e substâncias lipossolúveis, semelhante à aplicação tópica diária, diferente dos sistemas de cultura celular que somente permitem o uso de substâncias solúveis no meio de cultura, além do custo mais baixo e maior rapidez para a execução de testes que os sistemas in vitro disponíveis. Para validação do modelo HOSEC para eficácia de FPS propõe-se o estudo comparativo entre esse e o modelo animal e humano. Espera-se que no modelo HOSEC os resultados sejam semelhantes aos do modelo animal (camundongo hairless) e humano, já estabelecidos. Isto comprovará que o método é viável e pode ser usado como alternativa ao uso de animais para os estudos pré-clínicos e aos modelos clínicos com voluntários para avaliar a eficácia e segurança de fotoprotetores, consolidando assim a imagem inovadora da empresa. Com a validação desse método inovador a empresa atendera às necessidades da indústria de produtos cosméticos. Além disso, se consolidará como uma empresa parceira a este setor, tanto para inovação quanto para o atendimento ao mercado e normas de segurança para o lançamento de produtos cosméticos. (AU)

Matéria(s) publicada(s) no Pesquisa para Inovação FAPESP sobre o auxílio:
Natura premia startup fornecedora na categoria inovação