Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação de técnica sorológica para leishmaniose visceral e Doença de Chagas em animais silvestres e identificação molecular

Processo: 12/16757-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de fevereiro de 2013 - 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Medicina Veterinária Preventiva
Pesquisador responsável:Simone Baldini Lucheis
Beneficiário:Simone Baldini Lucheis
Instituição-sede: Departamento de Descentralização do Desenvolvimento (APTA Regional). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Pesq. associados:João Pessoa Araújo Junior
Assunto(s):Zoonoses  Animais silvestres  Doença de Chagas  Leishmaniose visceral animal  Trypanosoma cruzi  Clonagem  Análise de sequência de DNA 

Resumo

Animais silvestres são importantes fontes de infecção de zoonoses para espécies domésticas e o homem, tais como as leishmanioses e doença de Chagas. Por esta razão, torna-se necessário o conhecimento da distribuição geográfica e ocorrência de tripanossomatídeos de caráter zoonótico em espécies silvestres. A hemocultura associada à Reação em Cadeia pela Polimerase (PCR) podem ser ferramentas diagnósticas para estas enfermidades. Iniciadores da região ITS-1 (Internal Transcribed Spacer 1) amplificam sequências de tripanossomatídeos e o seqüenciamento do DNA alvo, possibilitando a diferenciação entre as espécies. Além disso, a avaliação do uso de proteínas recombinantes na pesquisa de anticorpos específicos contra Leishmania infantum (L. infantum) e Trypanosoma cruzi (T.cruzi) com a técnica sorológica de ELISA por Competição (C-ELISA) podem auxiliar na investigação da ocorrência destes parasitas. Amostras de sangue de 103 animais silvestres de vida livre e em cativeiro, submetidas à hemocultura em meio LIT (Liver Infusion Tryptose) e os produtos amplificados pela PCR das amostras de culturas com ou sem parasitas flagelados à microscopia óptica, serão seqüenciados para a identificação parasitária. Para avaliação da técnica de C-ELISA serão produzidos os antígenos recombinantes: rK39 de L. infantum e CRA (Cytoplasmatic Repetitive Antigen) e FRA (Flagellar Repetitive Antigen) de T. cruzi, utilizando o sistema de expressão em Escherichia coli. Devido à escassez de reagentes espécie-específicos, estas proteínas recombinantes serão purificadas e inoculadas em animais experimentais (coelhos e cobaios) para padronização de técnica sorológica de C-ELISA nas diferentes espécies de animais silvestres deste estudo. (AU)