Busca avançada
Ano de início
Entree

Produção de enzimas ligninolíticas e biomassa fúngica usando vinhaça como meio de cultivo

Processo: 12/50437-3
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas - PIPE
Vigência: 01 de abril de 2013 - 31 de dezembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Luiz Fernando Romanholo Ferreira
Beneficiário:Luiz Fernando Romanholo Ferreira
Empresa:Algae Biotecnologia Ltda (ALGAE)
Município: São Paulo
Bolsa(s) vinculada(s):13/05913-4 - Produção de enzimas ligninolíticas e biomassa fúngica usando vinhaça como meio de cultivo, BP.TT
13/05612-4 - Produção de enzimas ligninolíticas e biomassa fúngica usando vinhaça como meio de cultivo, BP.PIPE
Assunto(s):Biodegradação  Enzimas  Biomassa 

Resumo

Os fungos lignocelulolíticos, em especial os da podridão branca, podem ser utilizados para a remediação de poluentes (como vinhaça, corantes e pesticidas) por apresentarem um sistema enzimático extracelular de caráter não-específico, e capaz de romper uma grande quantidade de ligações químicas diferentes pela ação de enzimas constituintes do complexo multienzimático como as lacases (EC 1.10.3.2), as peroxidases dependente de manganês ou manganês peroxidase (EC 1.11.1.13). Com o interesse de reduzir os riscos de contaminação da aplicação direta da vinhaça sem um prévio tratamento, tem se como objetivo utilizar o fungo Pleurotus sajor-caju CCB 020, que tem a capacidade de biodegradar o resíduo, para produzir enzimas com potencial biotecnológico ambiental e biomassa de alto valor nutricional, descolorindo a vinhaça e reduzindo seu potencial poluidor e assim agregar valor a este resíduo de grande interesse econômico. Através de reator desenvolvido pela empresa ALGAE Biotecnologia, pretende-se escalonar a aplicação do fungo outrora desenvolvido sob condições laboratoriais, e com isso manter o nível de produção enzimática obtida em pesquisas prévias realizadas pelo pesquisador responsável da presente proposta, pretendendo desta forma produzir um extrato enzimático bruto que apresenta capacidade de descolorir/degradar não só o resíduo em estudo, como outras moléculas recalcitrantes oriundos da indústria têxtil. As enzimas citadas na presente propostas têm sua produção concentrada no hemisfério norte, havendo desta forma a necessidade de sintetizá-las nacionalmente, reduzindo com isso os custos com a importação. A necessidade por novos produtos biotecnológicos, como as enzimas e suplementos nutricionais animais através do aproveitamento de um resíduo de fácil acesso, tornasse necessário visto que o estado de São Paulo é o principal produtor nacional de biocombustível oriundo da cana-de-açúcar. Do ponto de vista científico e tecnológico, os resultados esperados para este projeto vêm de encontro com a utilização de resíduos oriundos da agroindústria de biocombustíveis, visando sua transformação em produtos de maior valor agregado bem como em sua descontaminação como resíduo final. Do ponto de vista da inovação, o uso destes resíduos em processos biotecnológicos traria um processo bastante atraente visto que, além de ser um processo no qual usará resíduo, estará também agregando valores a um subproduto causador de problemas ambientais. Esses fatores indicarão um provável e promissor processo de utilização de resíduos em modo viável para fins industriais. (AU)