Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudos de neuroimagem relacionados ao processamento emocional e aplicações na investigação de características funcionais e estruturais do cérebro relacionados à esquizofrenia e ao transtorno de déficit de atenção com e sem hiperatividade

Processo: 12/51011-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de janeiro de 2013 - 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Interdisciplinar
Convênio/Acordo: CONICET
Pesquisador responsável:Geraldo Busatto Filho
Beneficiário:Geraldo Busatto Filho
Pesq. responsável no exterior: Salvador Guinjoan
Instituição no exterior: Universidad de Buenos Aires (UBA), Argentina
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/19179-5 - Compatibilidade estímulo-resposta e valência emocional: uma investigação das bases neurológicas envolvidas no processamento da informação espacial e emocional, AP.R
Assunto(s):Neuroimagem funcional  Ressonância magnética  Transtorno do deficit de atenção com hiperatividade  Esquizofrenia 

Resumo

Este projeto visa aprofundar a interação entre dois grupos de pesquisa consolidados com experiências complementares "no campo de pesquisa da neuroimagem, num projeto destinado a estudar dois transtornos diferentes: a esquizofrenia e o Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade - TDAH. O estudo envolvendo indivíduos diagnosticados com TDAH investigará disfunções em áreas cerebrais específicas, envolvidas na seleção das respostas quando a informação emocional e espacial compete por essa seleção. No que diz respeito à esquizofrenia, o projeto testará a hipótese de que existe uma base estrutural para o déficit em processamento emocional de indivíduos com esquizofrenia, e que tais alterações são parcialmente compartilhadas com os seus irmãos não psicóticos. Para isso, o grupo de pesquisadores brasileiros avaliará sujeitos portadores de TDAH e saudáveis (controle), conduzindo nestes indivíduos experimentos de ressonância magnética funcional (fMRI) com o paradigma de compatibilidade estímulo-resposta com estímulos de valência emocional; já o grupo de pesquisadores argentino avaliará sujeitos portadores de esquizofrenia, irmãos não psicóticos e indivíduos saudáveis (controle), conduzindo nestes indivíduos experimentos de imagem por fMRI com paradigmas de estresse genérico e indução de emoções. (AU)