Busca avançada
Ano de início
Entree

Bagaço de cana-de-açúcar na alimentação de suínos

Resumo

Objetiva-se, com o presente projeto, avaliar níveis de inclusão de bagaço de cana-de-açúcar na alimentação de leitões recém-desmamados e de suínos na fase de terminação. Serão realizados três experimentos: no primeiro, serão utilizados 96 leitões, machos castrados, recém-desmamados, dos 21 aos 63 dias de idade, os quais receberão quatro dietas com inclusões de 0, 1,0, 2,0, 3,0 de bagaço. Cada tratamento terá oito repetições, sendo três animais por unidade experimental. Serão avaliados o desempenho, a incidência de diarreia, o tempo de trânsito das dietas, o pH e a viscosidade do trato gastrintestinal, bem como a concentração de ácidos graxos de cadeia curta, a microbiologia do conteúdo intestinal, a morfologia da mucosa intestinal e os pesos do intestino delgado, ceco e cólon. No segundo, serão determinadas a digestibilidade dos nutrientes e a energia digestível do bagaço de cana, sendo utilizados 20 animais que receberão duas dietas, uma referência, composta principalmente por milho e farelo de soja e a teste, em que haverá a substituição de 30% da dieta referência por bagaço de cana. No terceiro experimento, cujo objetivo será estudar a restrição alimentar qualitativa para suínos abatidos pesados, serão utilizados 50 suínos, machos castrados, com 80 kg de peso vivo, que receberão cinco dietas com inclusões de 0, 5,0, 10,0, 15,0 e 20,0% de bagaço de cana, com dez repetições, sendo um animal por unidade experimental. Serão avaliados o desempenho, a taxa de passagem, o peso dos órgãos do trato gastrintestinal, as características de carcaça, a qualidade da carne, o perfil de ácidos graxos, o potencial de impacto ambiental das fezes e, por último, a viabilidade econômica de utilização destas dietas. Para todos os experimentos será adotado o delineamento em blocos ao acaso. Os dados serão submetidos à análise de variância, utilizando-se o procedimento GLM do programa estatístico SAS 9.2. (AU)